selo Anuncieaqui triplo

A emocionante história da família da Noviça Rebelde

por Redação.

novicaEm A Noviça Rebelde: Memórias de antes e depois do grande sucesso do cinema, lançamento da Editora Best Seller, Agathe Von Trapp, a filha mais velha dos Von Trapp, conta detalhes da trajetória de sua família, que ficou famosa mundialmente por causa do musical. Com ilustrações feitas pela própria autora, a obra promete transportar seus leitores para a Áustria, pré-Segunda Guerra Mundial, e seguir acompanhando os passos da família Von Trapp antes de sua chegada aos Estados Unidos, na morte da mãe, na chegada da segunda mãe - Maria, conhecida como A Noviça Rebelde -, e na bem-sucedida carreira como cantores. O livro é recheado de fotografias.

A Noviça Rebelde - Memórias de antes e depois do grande sucesso do cinema
Autor: Agathe Von Trapp
Páginas: 288
            Preço: R$39,90

Palestra de Nélida Piñon dá início ao Fórum das Letras de Ouro Preto

por Redação.

Evento será realizado até o próximo domingo, 25 de novembro; autores participarão de debates norteados pelo tema “Como se faz um livro?”

forumTem início, nesta quinta-feira, 22 de novembro, a oitava edição do Fórum das Letras de Ouro Preto. Com o tema “Como se faz um livro?”, o evento será realizado até o dia 25 de novembro, domingo, em uma das principais cidades históricas brasileiras. As discussões serão centradas no amplo processo de produção literária e contarão com a presença de escritores, editores, agentes literários, pesquisadores e jornalistas. A conferência de abertura, realizada às 19h, no Cine Vila Rica, será protagonizada por Nélida Piñon, a primeira mulher, em 100 anos, a presidir a Academia Brasileira de Letras. A conversa, mediada pela idealizadora do evento, Guiomar de Grammont, terá como mote o recém-lançado “Livro das Horas” (Record), no qual a escritora narra parte de suas memórias. As inscrições para o Fórum das Letras, gratuitas, ainda podem ser feitas pelo site www.forumdasletras.ufop.br.
Para a coordenadora Guiomar de Grammont, a realização desta edição do evento tentará satisfazer a curiosidade dos autores iniciantes, apaixonados pela literatura e outros interessados no assunto. “O Forum das Letras abordará todos os processos de produção dessa maravilhosa invenção humana que é o livro, desde o momento em que o escritor começa a criar seu texto até sua chegada nas livrarias. Como se faz um livro? Essa é a pergunta que o evento tenta responder, ouvindo diversos profissionais que trabalham de forma coordenada para que esse tapete mágico, capaz de transportar seus leitores para outros mundos, possa alcançar a plenitude na realização de sua razão de ser”, afirma.
O primeiro dia contará com diversas outras atividades. Além das ações do Fórum das Letrinhas, programação infantojuvenil do encontro, ganha destaque a realização da oficina “Como se faz um livro?”, da qual participarão os editores Andreia Amaral (Civilização Brasileira), Gilson Iannini (Autêntica/UFOP), Carlos Andreazza (Record) e Cristiane Costa (Nova Fronteira). Ao longo do evento, também estão programados debates com André Brito Pereira (Bertrand Brasil), Sérgio França (Record), Bernardo Azjenberg (Cosac&Naify), Thales Guaracy (Saraiva) e Maurizio Manzo (Miguilim).
 O poeta Guilherme Mansur também fará sua rica contribuição para o sucesso do evento. A exposição “Estalactites Tipográficas” estará em cartaz na Galeria do Centro Cultural FIEMG e mostrará, em tipos móveis digitalizados, poemas do expressionista alemão August Stramm traduzidos por Augusto de Campos. Mansur coordenará, ainda, a Chuva de Poesia que tomará conta do fim da solenidade de abertura. “Será uma chuva voltada para o cinema, uma vez que nos folhetos estarão impressas trinta frases de Orson Welles, abordando a própria vida e o cinema. Esta chuva-homenagem registrará os 70 anos desde que o cineasta filmou Ouro Preto, em 1942”, explica o tipoeta, assim apelidado pelo concretista Haroldo de Campos. A ação terá apoio do grupo “Fotógrafos em Ouro Preto”.
Até o domingo, 25 de novembro, passarão também pela antiga Vila Rica os escritores Antônio Cícero, Eduardo Jardim, Fabrício Carpinejar, Fernando Molica, João Gilberto Noll, Jorge Ferreira, Lucas Figueiredo, Luisa Geisler, Luize Valente, Paulo Markun e Santiago Nazarian, entre muitos outros.
Estudantes de jornalismo contarão com a programação do Ciclo de Jornalismo e Literatura. Coordenado pelos professores Marta Maria e Reges Schwaab, o curso contará com a presença dos jornalistas Alexandra Lucas Coelho, correspondente do jornal Público, de Lisboa; Mário Magalhães, que acaba de lançar a elogiada biografia Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo (Companhia das Letras), e da professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Cristiane Costa.
 O Fórum das Letras de Ouro Preto é uma realização da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e da Fundação Educativa de Ouro Preto (FEOP). O evento conta com o patrocínio do Governo Federal, Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Governo de Minas, Vale, Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG), Samarco e Petrobras e é apoiado pela TV UFOP, UFOP Educativa, Sesi Fiemg, Trem da Vale, Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), Casa dos Contos, Museu da Inconfidência, Grêmio Literário Tristão de Ataíde (GLTA), Completur Jr. e Multicultural.
A programação completa do evento está disponível em www.forumdasletras.ufop.br.

Dia de Agradecer

por Redação.

gracasTalvez você não saiba, mas a próxima quinta-feira, 22 de novembro, é dia de agradecer e comemorar "O Dia Nacional de Ação de Graças". Que dia é este e a importância que a data pode ter na cultura nacional ou na vida de cada um de nós, brasileiros, ainda é algo para refletirmos. No entanto, a importância pode ser muito maior do que você imagina: Veja por quê:
Curiosamente, o país que se ergueu como uma das principais potências do mundo, os Estados Unidos da América, não somente exibe nas cédulas de dinheiro a frase, "Em Deus nós Confiamos", como a partir de 1623, depois de acontecer o primeiro encontro entre peregrinos e índios, em agradecimento à boa colheita, passaram a celebrar o "Thanksgiving Day" ou Dia de Ação de Graças. 
A data, que sofreu mudanças ao longo dos anos, acabou se fixando como sendo a quarta quinta-feira do mês de novembro, e George Washington, o primeiro presidente americano, estipulou, em seu famoso discurso de proclamação, as bases do agradecimento do Dia de Ação Graças. 
Segundo ele, era dever do povo observar e reconhecer, com o coração agradecido, os diversos favores e benções de Deus, e, principalmente, que Ele garantisse à nação a oportunidade de estabelecer, em paz, uma forma de governo que trouxesse segurança e felicidade. Entre outras recomendações, era desejo do governante que todos se unissem de forma humilde não somente para agradecer, mas também para suplicar o perdão; e que o Senhor permitisse a todos o cumprimento de suas obrigações de forma correta e pontual. E ainda pedia a benção para que os governos fossem sábios, justos e seguissem e executassem, com fidelidade, as leis da constituição. Ele também incentivava a prática da religião verdadeira e virtude, e pedia a Deus prosperidade para todos os homens.
Assim nasceu a tradição celebrada até hoje, se tornando uma data comemorativa até mesmo mais importante do que o Natal. No decorrer dos anos a comemoração sofreu, obviamente, a influencia de muitas culturas e povos que migraram para a América do Norte, mas o princípio nobre, espírito de união e propósito permaneceram arraigados na cultura que se tornou altamente influente, unida e próspera. 
Coincidência ou não ao pesquisar na Bíblia encontrarmos os seguintes dizeres no livro dos Philippians 4:6 - Não se preocupe com nada, mas, sim, reze para tudo. Diga a Deus o que precisa e agradeça a Ele tudo o que tem. 
Sendo o Brasil um país de 194 milhões de habitantes dos quais 64,6 % são católicos, bom seria se contássemos com governantes de princípios semelhantes aos de George Washington. Quem sabe assim, evoluiríamos como uma nação unida e com boa qualidade de vida para todos, cujos valores e foco seriam dirigidos aos interesses da nação e de todos. 
Trezentos anos depois, o presidente Eurico Gaspar Dutra instituiu, no Brasil, o dia Nacional de Ação de Graças em 17 de agosto de 1949. Não entendo como nós, que aparentemente gostamos tanto de copiar e emprestar não somente palavras do vocabulário americano, mas também outros "modismos", ainda não incorporamos, num sentido mais amplo, as virtudes ensinadas pelo dia do agradecimento.
Penso que está mais do que na hora de observarmos estes conhecimentos e ensinamentos, cuja falta tem nos cobrado um preço alto demais: a violência, desunião e desrespeito à nação e ao povo. 
FELIZ DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS!
 
Rosanne Martins
Autora do livro "Por que Sonhar Se Não Para Realizar?”, Bióloga, certificada em Winnipeg em Grupos de Sucesso da autora Barbara Sher, graduada no programa de Coaching, Success Principal, de Jack Canfield e em curso avançado de Psych-K, técnica desenvolvida com o objetivo de mudar crenças na mente subconsciente. Recentemente certificou-se pela Escola de Self-Healing (Auto-Cura) em São Francisco, Califórnia, atua como Terapeuta holística e Palestrante Motivacional. Nasceu no Rio de Janeiro, reside em São Paulo e durante 10 anos morou no Canadá. Site: www.rosannemartins.com.br

LeYa lança “Cervejas, Birras e Brejas”, livro que explora as curiosidades e histórias da bebida que é paixão nacional

por Redação.

 
“Este livro trata justamente disso: mostrar a você que beber cerveja é muito mais
do que deglutir a exaustão um líquido hipergelado. Isso é claro, se você quiser sair do
lugar-comum, estiver aberto e disposto a aproveitar o mundo cervejeiro que agora se abre a sua frente. Quer tentar?”
 
Loira, vestida elegantemente, de preferência com um colarinho sedutor. Mas pode ser também a morena, mais intensa, ainda assim discretamente doce e com perfume de malte queimado. A preferência é nacional, mas quando se trata de cerveja, a estrangeira também é sempre bem-vinda.

Editora LeYa lança em outubro “Sua Santidade – As cartas secretas de Bento XVI” de Gianluigi Nuzzi

por Redação.

Este livro é o relato verídico e chocante do que está acontecendo hoje no Vaticano. Dos milhões de euros de negócios suspeitos branqueados pelo IOR (o banco da Igreja), aos escândalos de pedofilia que envolvem sacerdotes e bispos um pouco por todo o mundo, passando pelo dinheiro ganho pela Igreja com pornografia, a ingerência na política interna de outros países, os crimes passionais, os jogos de poder que destroem reputações e colocam os interesses pessoais na frente dos interesses da Igreja e de sua missão evangélica.
 
Bento XIV vive fechado nos Aposentos Papais, refém das vontades de uma corte de cardeais, bispos e secretários particulares que só permitem que saiba algumas coisas. Bertone, o cardeal Secretário de Estado, é a figura central de uma intriga sem tamanho e move pessoas e acontecimentos como melhor lhe convém cumprindo seu desígnio de um poder cada vez maior.
 
Isso está parecendo ficção? Não é! Este livro foi escrito com base em documentos secretos do Vaticano que, pela primeira vez na história da Igreja, saíram dos Palácios Papais e vazaram nas mãos de um respeitado jornalista italiano. Em todos os departamentos da Santa Sé existem religiosos e laicos que ainda lutam para que a missão de Cristo na Terra continue se cumprindo. E foram eles, todos eles, que ao longo de anos guardaram documentos fundamentais para que hoje você possa entender o que se passa de verdade para lá dos muros de São Pedro, fechados por seus portões de bronze. Uma dessas pessoas recebeu o nome de código «Maria» e foi o portador de todas essas cartas, relatórios, papéis, que durante semanas, sempre em locais diferentes, em horas diversas, entregou a Gianluigi Nuzzi.