Espaço Vinil

selo Anuncieaqui triplo

Sesc Santana realiza atividades sustentáveis nas "Ideias e ações para um novo tempo"

por Redação.

Destaque para o Jazz na escada da praça revitalizada pela unidade e o Food show orgânico
 
O Sesc Santana realiza oficinas e atividades sustentáveis no mês de junho. A programação integra o projeto "Ideias e ações para um novo tempo", que tem como objetivo unir reflexões e experiências sociais voltadas à sustentabilidade, destacando iniciativas transformadoras da realidade.
 
No dia 06, sábado, 16h, acontece o "Jazz na escada", uma atividade para concluir o trabalho da intervenção e revitalização da Praça do Parque Domingos Luis. A música será apresentada pelo grupo Jazz na Kombi.
 
Nos dias 13 e 14, sábado e domingo, às 14h, são realizadas as oficinas "Canteiro lasanha" e "Mini viveiro", respectivamente, ministradas pelo Instituto Humana Terra.
 
Por fim, nos dias 18 e 25, quintas, às 19h, a atividade "Food show orgânico", que traz a degustação de receitas orgânizas acompanhadas de um bate-papo sobre produtos orgânicos. Abaixo, a descrição completa das atividades:
 
Jazz na Escada | 06/06. Sábado, 16h | Praça do Parque Domingos Luis (atrás do Sesc Santana) | Grátis | Livre
 
jazz1.jpg
Foto | Leo Eloy
 
Atividade de conclusão da intervenção realizada pelo Ateliê Azu, a partir da oficina "Azulejaria Artesanal e Cerâmica".
A ação do coletivo foi coordenar os alunos da oficina e participantes da comunidade para a confecção e instalação das peças no espaço urbano. 
O resultado final é aberto ao público com a apresentação do Jazz na Kombi, grupo que propõe trazer o jazz para seu lugar de origem, a rua, promovendo o encontro de pessoas e repensando a ocupação do espaço público. 
 
Canteiro Lasanha | 13/06. Sábado, das 14h às 17h | Quiosque | Grátis | Livre
Oficina sobre os plantios em palha. Apresenta a técnica como uma solução simples e de baixo custo para a produção em ambientes urbanos, com ou sem terra.
Com Instituto Humana Terra.  
 
jazz2.jpg
 
Mini Viveiro | 14/06. Domingo, Das 14h às 17h | Quiosque | Grátis | Livre
A oficina apresenta as etapas e as técnicas principais de produção de mudas em um pequeno viveiro doméstico.
Com Instituto Humana Terra.  
 
Food Show Orgânico | 18 e 25/06. Quintas, 19h | Foyer do teatro | Grátis | Livre
 
foodshow.jpg
 
Preparo e degustação de receitas orgânicas acompanhadas de um debate sobre consumo de produtos orgânicos, trabalho de produtores orgânicos e funcionamento cíclico do tripé que envolve entidades, consumidores e produtores.
18/06: presença de Ana Flávia Borges Badue do Instituto Kairós – educadora ambiental especialista em educação para o consumo responsável e promoção da saúde.  
25/06: presença de um agricultor do movimento de cooperativas, que explicará a ação, e a origem, a dinâmica das feiras orgânicas, a produção e venda dos alimentos.
Com a chef de Bio Gastronomia Claudia Mattos.
 
Sesc Santana
Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Jd. São Paulo
Estacionamento – R$ 7,00 período do espetáculo (desconto de 50% para comerciários com credencial plena - Sesc).
Telefone para informações: (11) 2971-8700
Para informações sobre outras programações ligue 0800-118220 ou acesse o portal http://sescsp.org.br/santana   

PRAÇA VICTOR CIVITA SEDIA ESTREIA DO FESTIVAL SETE SÓIS SETE LUAS EM SÃO PAULO

por Redação.

Convidados de Portugal e Espanha integram evento que mescla música, expressões da cultura brasileira, dança e artes visuais e que ocorre nos dias 30 e 31 de maio
 
luasitania.jpg
Luasitania Orkestra
 
Pela primeira vez em São Paulo, o Festival Sete Sóis Sete Luas será sediado na Praça Victor Civita com data para o último fim de semana do mês (30 e 31/5). Com múltiplas linguagens, o evento promovido pela Fundação Sete Sóis Sete Luas traz em sua programação artistas convidados de Portugal e Espanha e grupos das Fábricas de Cultura da Zona Leste, que realizam números de dança, circo e cultura popular, além de apresentações musicais e exposição.
 
O objetivo do festival, promovido pela Rede Cultural europeia, é o intercâmbio cultural por meio da realização de projetos de música popular contemporânea e de artes plásticas, com a participação de artistas da cultura mediterrânea e do mundo lusófono. Em São Paulo, o coordenador e representante do evento, Ca Cau, é também cantor da ‘Luasitania Orkestra’: “Nossa intenção é incluir o país e a cidade de São Paulo no circuito das cidades que recebem o Festival Sete Sóis Sete Luas no mundo, promovendo um rico diálogo entre estas culturas”, afirma o artista, participante da edição do evento na Europa.
 
No dia 30, sábado, as atividades do Festival tem inicio às 15h com a apresentação da Banda Sinfônica de Sapopemba, seguida por números de street dance e pela Banda de Metais Percussivos. Intervenções circenses e expressões da cultura brasileira também estarão presentes como o Maculelê e o Encontro de Capoeira das Fábricas. Às 18h se apresenta a Luasitania Orkestra, cujo show, que será gravado, dará origem ao mais novo CD do Festival e será divulgado em toda a rede internacional. O grupo é formado por artistas oriundos de diversos países que integram o Festival: Brasil (Ca Cau, voz e guitarra), Espanha (Efren Lopez, diretor musical e sanfona), Aleix Tobias, bateria) e de Portugal (Joana Negrão, voz e percussões, e Sofia Neide, contrabaixo).
 
Ainda como parte da programação musical do evento, no domingo, às 11h, será apresentado concerto com a Orquestra Antunes Câmara, sob regência do maestro Ênio Antunes. O repertório de música erudita é formado por composições de Vivaldi, Alberto Nepomuceno, Heitor Villa-Lobos e Guerra-Peixe. Também serão apresentadas músicas populares consagradas que ganharam arranjos para orquestra de cordas, entre elas “Tico-Tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu, “Carinhoso”, de Pixinguinha, além de “Libertango” e “La Morte Del Angel”, de Astor Piazzolla.
 
Para entusiastas das artes visuais, o Festival Sete Sóis Sete Luas prepara a exposição “Pequenas Memórias”, uma homenagem ao seu fundador, José Saramago, inspirada em seu livro autobiográfico. Especialmente criada pelas artistas da Guilda Paulistana – grupo de seis mulheres que expressam sua arte através das linguagens como cerâmica, fotografia, pintura e escultura – a mostra estará aberta para visitação nos dois dias do evento (30 e 31 de maio).
 
SOBRE O FESTIVAL SETE SÓIS SETE LUAS
 
Criado em 1993 pelo escritor José Saramago, o Festival Sete Sóis Sete Luas é uma extensa rede de intercâmbio cultural do mundo, presente em 40 cidades de 11 países - da costa da Macaronésia e da costa do Mediterrâneo (Brasil, Cabo Verde, Croácia, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália, Marrocos, Portugal, Romênia). 
 
É promovido internacionalmente pela Associação Cultural “Sete Sóis Sete Luas”, com sede em Ponte de Sôr (Portugal) e em Pontedera (Itália). Atualmente, tem como Presidente Honorário outro Prêmio Nobel, o escritor e dramaturgo DarioFo, além do Presidente da República de Cabo Verde, S.E. Jorge Carlos Fonseca. Grandes nomes da música contemporânea já participaram do Festival, tais como: Cesária Evora, Carlos Paredes, Emir Kusturic, Maria Farantouri, Tito Paris, Teresa Salgueiro, Carlos do Carmo, Sérgio Godinho, Dulce Pontes, Dario Fo, Nicola Piovani entre outros. O Festival promove a mobilidade artística intensa entre os artistas das diversas cidades, um estímulo à difusão cultural e aos diálogos entre culturas e tradições. 
 
Mais informações em http://www.festival7sois.eu
 
luasitania1.jpg
 
Festival Sete Sóis Sete Luas
Data: 30 de maio (sábado), das 15h às 20h e 31 de maio (domingo), das 11h às 12h 
Local: Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros
Ingresso: entrada gratuita* 
Classificação etária: livre
Outras informações: (11) 3031-3689 ou http://www.pracavictorcivita.org.br
* Não é necessário retirar ingressos com antecedência.    

MÚSICO GALBA E SUA BANDA DÃO VOZ À MÚSICA BRASILEIRA NA 3ª MOSTRA MANGUE CULTURAL

por Redação.

Trio de músicos se apresenta em evento promovido pela Associação Raso da Catarina
 
galba.jpg
 
Porque não uma boa dose de música brasileira em palco aberto? No dia 17/05, às 16h, Galba e sua banda se apresentam na Praça Eder Sader - zona oeste de São Paulo - pela 3ª Mostra Mangue Cultural. Produzida pela Associação Raso da Catarina, o evento, que chega ao segundo mês de atividades culturais gratuitas em 2015, visa estimular a ocupação de áreas abertas à população e a formação de público para as artes. Vale destacar que o local escolhido para abrigar a mostra é símbolo da diversidade social da região, espaço onde a comunidade local se integra em ações de revitalização e uso da praça, independentemente das classes sociais.
 
Galba - voz, violino, violão e bandolim – lidera trio formado, para além do próprio, por Brau Mendonça no violão e baixo e Rafael Fazzion na percussão. Os músicos tocarão 2 CDs na apresentação: "Caçador de Lua" e o recém lançado "Tribuzana", com temas instrumentais de autoria de Galba, além de canções tradicionais do repertório brasileiro.
 
A 3ª Mostra Mangue Cultural é realizada com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria Estadual da Cultura, tem a parceria da subprefeitura de Pinheiros e dos espaços Gam Yoga, Bambu Brasil e Casa da Cidade. A coordenação geral do evento é feita por Alessandro Azevedo e a produção executiva é feita por Poliana Helena.
 
3ª Mostra Mangue Cultural – Galba
Quando: 17 de maio, às 16h
Local: Praça Eder Sader – Vila Madalena (acesso pela R. Fidalga, 800)
Entrada: Gratuita. Não é necessário retirar ingressos com antecedência.
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ; O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Telefone: 11-3537-9331

Ritmo, Poesia e música brasileira de qualidade marcam o disco de estreia do LADODALUA

por Redação.

Com um time experiente liderado pelo percussionista Dalua, grupo inova com intensa mistura de estilos
 
Um projeto amadurecido por sete anos, sem a pressa habitual de se abrir ao mundo da indústria cultural. É com este espírito que o LADODALUA brinda o público com seu disco de estreia, intitulado com o nome do grupo. O trabalho está disponível em lojas físicas e virtuais com preços entre R$23 e R$25.
 
ladolua1.jpg
 
O grupo, liderado pelo percussionista e mestre em capoeira Dalua, conta ainda com Emilio Martins (percussão), Cello Resende (cavaquinho e voz), Elder Costa (guitarra e voz), Edy Trombone (trombone, bombardino e percussão) e Dr. Otavio Gali (contrabaixo acústico e elétrico). No álbum LADODALUA, apresentam um repertório que mescla músicas autorais - gravadas pela primeira vez, mas já conhecidas do público do grupo -, como “Capoeira Camará” e “Eu sou desse chão”, e releituras de músicas da MPB, a exemplo de “Baião”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.
 
A marca do disco é a percussão, assim como a simbiose entre ritmos afro-brasileiros e a influência do jazz, soul, funk, samba e rock. “Ficou acertado entre nós que a voz principal do nosso som seria a percussão, que é a matriz das reações corpóreas para o ritmo. Viemos da capoeira, que é um ponto comum entre os gostos de todos do grupo”, diz Dalua.
 
ladolua2.jpg
 
Para Dalua, produtor musical do grupo, o novo trabalho traz a possibilidade de colocar em prática uma identidade construída ao longo de sua carreira como músico de apoio nas bandas de Lenine, Luciana Mello, Jair Rodrigues, Ana Carolina e Maria Rita, entre outros: “A minha escola, além da capoeira, é a diversidade de artistas com que trabalhei. Para mim, e para todos os instrumentistas do grupo, já era chegada a hora de colocar nossas influências em prática com um trabalho em que pudéssemos nos escolher como parceiros”. 
 
Outro ponto de destaque do disco é o trabalho gráfico de Gringo Cardia, que soube entender e valorizar as principais características do LADODALUA em um interessante encarte. Percebe-se uma minuciosa escolha nas figuras, sobretudo da capa; uma enigmática imagem de 1906 no interior de Minas Gerais. Trata-se de um retrato de época, flagrada em uma inauguração de igreja.
 
O disco pode ser adquirido na Livraria Cultura, por R$24,90, na loja Pops discos por R$23,00, e nas plataformas digitais ‘Itunes’, Spotify e Deezer.
 
FAIXAS
 
1. Baião (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira)
2. Eu sou desse chão (Dalua / Cello Resende)
3. Capoeira Camará (Paulo Cunha)
4. Samba Cubano (Lucas Santanna e Plinio Profeta). Participação especial: Shamarr Allen - voz e trompete
5. Onde tem tambor tem gente (Elder Costa)
6. Todo dia era dia de índio (Jorge Bem Jor)
7. Saudade das minas (Dalua / Elder Costa / Emilio Martins / Celle Resende / Edy Trombone / Augusto Albuquerque)
8. Parabolicamara (Gilberto Gil)
9. Laço (Cello Resende)
10.Berimbau (Baden Powell / Vinicius de Morais)
11.Eu não tenho onde morar (Dorival Caymmi)
12.Ladodalua (Cello Resende)
 
Mais informações: http://www.ladodalua.com.br/

Música no Deck, "Sesc Santana"

por Redação.

O projeto “Música no Deck” é realizado mensalmente pelo Sesc Santana e conta com apresentações de artistas de gêneros musicais diversos. Os shows são realizados aos sábados, às 19h. No mês de maio, os artistas dialogam com estilos das músicas francesas e franco-brasileiras.
 
Nos dias 02, 09, 16, 23 e 30 de maio serão realizadas apresentações de Aurélie & Verioca, Bossambá – Nancy Alves, Iuna, Piaf – Amores e canções e Les Serges, rescpectivamente.
 
Aurélie & Verioca | 02/05. Sábado, 19h.
 
deck1.jpg
Foto | Jean Pierre Gingold
 
As cantoras, compositoras e pesquisadoras francesas Aurélie Tyszblat e Véronique Lherm apresentam um show dedicado ao "amor pelas músicas brasileiras", como elas gostam de especificar. Do samba ao baião, passando pela bossa nova, maracatu e ritmos mais africanos, elas interpretam compositores como Nelson Cavaquinho, Dona Ivone Lara, Tom Jobim, Chico Buarque, Dori Caymmi, Joyce, Gismonti e Guina.
 
Bossambá – Nancy Alves | 09/05. Sábado, 19h.
 
deck2.jpg
 
A cantora e pesquisadora musical Nancy Alves apresenta um show misturando a língua francesa e a MPB. Acompanhada por Agenor de Lorenzi (guitarra), Beto Bertrami (teclados), Giba Pinto (baixo) e João Parahyba (percussão), Nancy apresenta um pouco dessa influência mútua que mescla samba, maxixe, chorinho, bossas e baladas.
 
Iuna | 16/05. Sábado, 19h.
 
deck4.jpg
 
No show, Iuna Tuane expressa o charme e a elegância da musica francesa em canções como "Non", "Je Ne Regrate Rien de Edith Piaf" e "Le plus beau du quartier", de Carla Bruni, em arranjos e interpretações originais e abrasileirados. A cantora sobe ao palco com Cleber Fogaça (contrabaixo acústico), Beto Figueiredo (bateria e percussão) e Fabiano Marchesini (arranjos e guitarra). 
 
Piaf – Amores e Canções | 23/05. Sábado, 19h.
 
deck5.jpg
 
Show do duo Sônia Andrade (voz) e Thadeu Romano (acordeon), "Piaf - Amores e Canções" conta a história da França através de sua música. A apresentação exibe a obra e conta a vida de Edith Piaf, com arranjos e roteiros costurados através das canções, vida e as célebres frases de Piaf.
 
Les Serges | 30/05. Sábado, 19h.
 
deck3.jpg
 
Liderado por Chris Hidalgo, idealizador do projeto, o grupo mostra a riqueza da música de origem francesa, tocando músicas franco-brasileiras e misturando ritmos como samba e bossa-nova com os clássicos franceses.
Para os amantes da “Chanson Française”, o grupo toca as mais bonitas canções de artistas franceses como Serge Gainsbourg, Charles Aznavour, Henri Salvador, Yves Montand, Pink Martini, entre outros.
 
Sesc Santana apresenta Música no Deck
Dias 02, 09, 16, 23 e 30 de maio. Sábados, às 19h.
Livre para todos os públicos. Duração: 60 min.
Grátis. Deck do Jardim. Capacidade: 60 pessoas.
Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Jd. São Paulo. Tel.: (11) 2971-8700
Estacionamento – R$ 7,00 período do espetáculo (desconto de 50% para comerciários com credencial plena - Sesc).