selo Anuncieaqui triplo

DIA 03/11: O PONTO PRO ROCK PROMOVE SHOW GRATUITO DAS BANDAS PLAZMA, CARPET FLOWERS e FIREFRIEND NA PRAÇA VICTOR CIVITA

por Redação.

As apresentações fazem parte do projeto Ponto pro Rock, que ocorre todo primeiro sábado do mês
 
No dia 03 de novembro, das 15h às 18h, o rock toma conta da Praça Victor Civita com o projeto Ponto pro Rock. Em novembro, as bandas convidadas são Plazma, Carpet Flowers e FireFriend.
 
fire

O FireFriend surgiu em 2006, na cidade de São Paulo, quando Yury Hermuche (guitarra, vocal) conheceu Julia Grassetti (baixo, violoncelo, piano, vocal) e lançou na internet uma coleção de músicas com muitos riffs de guitarra e melodias de violoncelo, atraindo a atenção entre músicos do underground, especialmente Pablo Oruê (bateria). Desde então, a banda passou a lançar novos discos quase todos os anos. Atualmente fazem shows em clubes e inferninhos paulistanos e grandes festivais em Recife e Goiânia. Agora com Cacá Amaral (guitarra, baixo, bateria) e Judaz Mallet (guitarra, baixo) a bordo. 

Distribuído pela Universal Music, Pra Sempre Samba, do grupo Dose Certa, será lançado dia 03 de novembro, às 20h, em show gratuito em São Paulo

por Redação.

 
O desavisado que passava pela rua Fidalga, na Vila Madalena, naquela noite fria de garoa paulistana no fim do século XX, jamais poderia imaginar que aquele estabelecimento, que ousava ostentar o nome de Bar Samba, abrigava jovens sambistas de tal qualidade.
Eram cinco, quatro de São Paulo e um do Rio de Janeiro, que  cultivavam absoluta devoção à música que melhor traduz o que vai na alma do povo brasileiro.
Eles começavam a carreira com o nome de Dose Certa. Mas como? Quatro paulistas, sambistas? Afinal, para muitos, vale aquela história de que o samba  nasceu lá na Bahia e fora dali só se instalou no Rio de Janeiro. Crenças de desavisados! 
O Dose Certa já sabia que, em solo brasileiro, o bom samba não tem lugar nem hora. É sempre companheiro de madrugadas, com ou sem luas, amigo de peito ferido, mas não seria capaz de abrigar um bojo perfeito de violão, contando aquela velha história da lágrima clara sobre a pele escura, que sem um bocado de tristeza não se faz um samba, não! E a fé no que virá...  O Dose Certa veio.
E aquele cantinho da metrópole-locomotiva se tornou referência nacional. Quer ver? Lá eu vi juntar-se aos garotos, com a maior admiração e respeito, sambistas como Almir Guineto, Seu Monarco da Portela, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho, Alcione, Ivan Lins, Leci Brandão, Moacir Luz, Wanderley Monteiro, Nilze Carvalho, Trio Calafrio, Carlinhos Vergueiro e toda a Velha Guarda do Império Serrano, entre outros. Mas sem negar o que há de fundamental nas terras bandeirantes, terra de Geraldo Filme, Adoniram, Vanzolini, Osvaldinho da Cuíca, Quinteto em Branco e Preto, Samba da Vela e muita gente mais. São essas as raízes para uma Dose Certa de samba.
Alemão do Cavaco veio da Mooca e desembarcou em escola de samba. Ganhou oito sambas em carnavais na Gaviões da Fiel. Um na X-9 paulistana. E visto assim do alto, o samba mais parece um céu no chão... Alemão do Cavaco desembarcou na Estação Primeira de Mangueira e fez bonito: compôs o único samba que levou nota dez de todos os jurados do Carnaval de 2011: Nelson Cavaquinho. Estava abençoado. No Dose Certa, começou ombro a ombro com o diretor de bateria da Mangueira, Vitor da Candelária. Parceiro desde a primeira hora . Não dá para entender o samba, nem o do Dose Certa, nem nenhum outro. Samba é igual a mulher. Mulher a gente não entende, a gente ama! Ou não! Afinal, tem gosto pra tudo. O meu é na Dose Certa. Além do Alemão e do Vitor, tem o J. Petróleo, que compõe, toca banjo e é um vocalista-baixo - bem baixo-, nas funduras de um João Nogueira. Tem o Vinícius Almeida, baixista que se redesenhou virando violonista de sete cordas para preencher a dose que faltava. Um consumidor de jazz adepto do samba. E o Wilsinho do Peruche, um percussionista, cuja voz surrada de partideiro  nos traz à memória a voz do morro, sim, senhor.
O CD, Pra Sempre Samba  (fossem gringos seria Samba Forever) é um primor. Não dá para entender. Só amando. E para amar, tem que conhecer. Tem que ouvir. É uma delícia aos ouvidos. Nas composições, parcerias de Alemão do Cavaco e Wilson Sucena; Dona Ivone e João Martins; Moacyr Luz e Sereno; Toninho Geraes e Toninho Nascimento; Trio Calafrio; Mauro Diniz; Efson e Odibar; Adalto Magalha e Wandinho Ribeiro; Adilson Bispo e Zé Roberto; Milbé, Ivison Bezerra e Gerson da Banda;  Wanderley Monteiro e Luiz Carlos da Vila; Dona Ivone Lara, André Lara e João Martins;  Zé Renato e Nei Lopes; Jonatas Petróleo e Nelson Papa;  Wilson Sucena e Wandinho Ribeiro; Riko Dorileo. Só tem bamba e inéditas. Cantando junto com Dose Certa, convidados como Ivan Lins, Ana Costa, Wanderley Monteiro, Pedro Miranda, Verônica Ferriani e Leci Brandão.  
“Pra Sempre Samba – o show” traz as mais diversas variações do gênero - partido alto, samba enredo, romântico, sincopado. São músicas inéditas de componentes do grupo e parcerias, como Divino Samba, de Wilson Sucena e Alemão do Cavaco; Sinhá Sinhá, de Efison e Odibar; O Tombo Da Corrente, de J. Petróleo e Nelson Papa; A Rosa e o Beija Flor, de Milbé, Ivison Bezerra e Gerson da Banda - do Berço Do Samba de São Mateus -; Peito Ferido, de Wilson Sucena e Alemão do Cavaco; Ela e Ele, de J. Petróleo, e um samba em homenagem a João Nogueira; Velho João, de Adilson Bispo e Zé Roberto; Perseguir a Paz, de Wanderley Monteiro e Luis Carlos da Vila; Fogão de Lenha, de Toninho Geraes; além de releituras de clássicos.
 
Acompanham o grupo os músicos Mauro Pinto (sax e flauta), Rodrigo Ramos e Ailton Nunes (percussão), Marco Rochael (clarinete), Luciano Pereira (violão) e Priscila Galvão (voz).
Pra sempre samba, que é vivo e reaparece e se recria sem perder a raiz. Os desavisados poderão se surpreender com o Dose. Eu não! Nem entendo! Amo com meu coração cheio de samba! 
Chico Pinheiro, jornalista
 
Assista:
 
 
Agenda:
Dia 03/11, 20h, Itaú Cultural (Avenida Paulista, 149, São Paulo, SP - próximo à estação Brigadeiro do metrô). Os ingressos devem ser retirados na bilheteria 30 minutos antes do show.
Dia 22/11, 19h30, Teatro Rival Petrobrás (Rua Álvaro Alvim, 33 / 37, subsolo, Rio de Janeiro, RJ)

Praça Victor Civita recebe show de encerramento do Festival Internacional de Músicos de Metrô

por Redação.

Segunda edição do Red Bull Sounderground terá show de encerramento no palco da Praça Victor Civita neste sábado, dia 27. De 22 a 26 de outubro, atrações de oito cidades diferentes do mundo circulam por nove estações do metrô paulistano, englobando as linhas Verde, Vermelha, Azul e Amarela
 
 Foto: Lost Art/ Red Bull Content Pool 
 
A Praça Victor Civita recebe o show de encerramento do Red Bull Sounderground - 2º Festival Internacional de Músicos de Metrô, no dia 27 de outubro, a partir das 17h. Serão três horas de espetáculo gratuito, reunindo 18 atrações em formações solo, duo e trio. Os artistas participantes são de Barcelona, Londres, Nova York, Paris, Moscou, Montreal, Berlim e também aqui de São Paulo. 
 
Até sexta, as 18 atrações convidadas para esta edição do Festival apresentam-se em nove estações do metrô paulistano nas linhas Verde, Vermelha, Azul e Amarela; sempre das 12h às 14h e das 16h às 18h. Idealizado por Marcelo Beraldo em parceria com a Red Bull, a segunda edição do Festival selecionou os artistas por meio de visitas aos 16 sistemas metroviários mais relevantes do mundo. Os músicos foram avaliados nos locais onde atuam pelo próprio idealizador do projeto. Mais informações sobre a programação completa em: redbull.com.br/sounderground. 
 
 
Festival Red Bull Sounderground – Show de Encerramento
 
Data: 27 de outubro | sábado
 
Hora: 18h às 21h
 
Local: Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros
 
Entrada Gratuita              
*A apresentação acontece no palco da Praça, com arquibancada coberta para 300 pessoas. Capacidade máxima do local: 2 mil pessoas
 
Outras informações: (11) 3031-3689 ou www.pracavictorcivita.org.br
 

Pianista Karin Fernandes lança OPUS 80

por Redação.

CD É HOMENAGEM AOS 80 ANOS DO COMPOSITOR EDMUNDO VILLANI CÔRTES

karin1


A pianista brasileira Karin Fernandes lançará em concerto no dia 27 de outubro, no Theatro São Pedro, o cd “Edmundo Villani Côrtes Opus 80” em homenagem aos 80 anos do compositor Edmundo Villani Côrtes.

Com a participação da ORTHESP (Orquestra Sinfônica do Theatro São Pedro), e dos maestros Lutero Rodrigues e Emiliano Patarra, o repertório inclui Ritmata N.1, Ritmata N.2, Sonata N.1, Sonatina, Concerto N. 3 Para Piano e Orquestra e Ânfora para Piano, Vibrafone e Cordas, obras que ainda não foram gravadas, sendo uma delas composta especialmente para o cd.

OPUS 80 - CONCERTO DE LANÇAMENTO

Local: Theatro São Pedro - Rua Albuquerque Lins, 207 - Barra Funda -

São Paulo - SP - (11) 3667-0499

Data e hora: 27 de outubro de 2012, às 20h30

Preço: R$ 5,00 (meia entrada para alunos de ensino fundamental,

médio e superior, professores da rede estadual de ensino, cidadãos

com 60 anos ou mais, alunos de cursinho pré-vestibular e de cursos

técnicos de São Paulo, mediante apresentação de documento

comprobatório)

Lotação: 636 lugares

Possui acesso para pessoas com deficiência física