selo Anuncieaqui triplo

Vida Vlatt volta ao teatro com o sucesso "Comédia em Dose Dupla"

por Redação.

03/09/2017 18:48:00
 
De 6 a 28 de setembro no Teatro Augusta
 
Comédia em Dose Dupla”, garantia de bom humor para toda a família.
 
vida.jpg
foto: Celina Germer 
 
Com 5 esquetes cômicas, os atores se desdobram em 10 personagem em diversas e inusitadas situações engraçadas e polemicas.
 
Branca de Neve, uma adolescente rebelde capaz de enlouquecer sua Madrasta, Adão e Eva provando que os problemas de relacionamento surgiram desde a criação da humanidade, a desencarnada e o anjo, mostrando ao público que entrar no céu talvez nãos seja tão fácil quanto parece, Romeu e Julieta o casal exemplo para tantos apaixonados, lavam  a roupa suja no palco depois de mais de 20 anos casados  e a religiosa e sua assistente tradutora de libras levam o público a gargalhadas entre uma pregação e outra enquanto exploram a fé alheia para se dar bem!
 
Humor leve e inteligente são a marca central dessa peça que fica em curtíssima temporada no excelente Teatro augusta.
 
Comédia em Dose Dupla
Vida Vlatt e  Pedro Fabrini 
De 6 a 28 de setembro - Quartas e Quintas-feiras.
Horario: 21 horas.
Para maiores de 12 anos
Ingressos: R$50,00 ou Meia R$ 25,00
Endereço:. Rua Augusta, 943 - SP

Hugo Bonemer e Daniel Rocha em nova montagem da comédia Frames em São Paulo

por Redação.

01/09/2017 18:58:00
 
Comédia de Franz Keppler traz os atores Daniel Rocha e Hugo Bonemer dirigidos por Camila Gama e Sandro Pamponet no Teatro MorumbiShopping
 
frames.jpg
 Leandro Marques
 
Em cartaz até 24 de setembro no Teatro MorumbiShopping, Frames é uma comédia dramática que traz quatro histórias, quatro recortes de vida que, com humor e leveza, exploram as possibilidades de entendimento entre pessoas muito diferentes.
 
O texto de Franz Keppler (Camille & Rodin, Córtex, Com Amor, Brigitte) recebe nova montagem, dirigida agora pela carioca Camila Gama e o baiano Sandro Pamponet (que já mostrou seu trabalho por aqui em Pop Corn e Caixa de Areia). No elenco estão os atores Daniel Rocha (Avenida Brasil, Império, Totalmente Demais e A Lei do Amor) e Hugo Bonemer (Hair, Rock in Rio – O Musical, Yank, Alto Astral e A Lei do Amor) no elenco.
 
Indicada ao prêmio APCA de melhor texto quando encenada pela primeira vez na capital paulista, a peça agora ganhou novas camadas dramatúrgicas e foi atualizada pelo autor. A trama se desenrola durante um mesmo dia em uma grande cidade, onde o que move – ou não – os personagens são as suas urgências e impossibilidades.
 
Na primeira história, "Fogos no céu de meio dia", duas pessoas são impedidas de sair na rua por conta de um tiroteio, cada uma delas com um objetivo naquele dia que poderia mudar radicalmente suas vidas. Em "Lâmpadas e Ovos Quebram", duas pessoas, cada uma em seu carro, estão presas num engarrafamento. Uma precisa chegar ao aeroporto a tempo de impedir que seu grande amor vá embora. A outra, vai ao encontro de alguém que poderá tirá-la do estado de morte civil em que ele se encontra. Em "Fogos no céu de meia-noite", dois amigos estão na sala de espera de um hospital e enquanto aguardam, refletem sobre suas vidas.
 
Finalmente, "Era pra ser só uma festa" trata da questão da homofobia e de suas trágicas consequências. "Em três destas situações, os personagens são forçados a conviver como consequência de riscos urbanos, enquanto que na quarta evidencia-se a convivência por escolha. E o melhor da relação humana é extraído quando são exploradas possibilidades de entendimento entre pessoas que pensam diferente", explica Hugo Bonemer, que produziu o espetáculo ao lado de Keppler.
 
"É um espetáculo que aborda questões como a construção do afeto e de sua liquidez contemporânea, por vezes se desdobrando em intolerância. Com ele, queremos criar espaço para reflexões sobre 'um possível adoecer social' que acaba por promover uma solidão apática, e que, ao mesmo tempo, dadas as possibilidades tecnológicas, está ironicamente acompanhada por uma sensação de "estar conectado ao todo", enfatizam os diretores.
 
Tudo é tratado com muito humor e delicadeza. "E percebemos, nas viagens que fizemos [a peça passou por Salvador, Balneário Camboriú, Brusque e Jaraguá do Sul], que é isso faz com que as pessoas se identifiquem com as histórias e personagens e reflitam sobre essa dificuldade de se comunicar e entender o outro e de como é possível conviver com mais leveza", completa Daniel.
 
Durante todo mês de setembro, ONGs e escolas públicas municipais e estaduais, além de beneficiários de programas socais do governo, podem resgatar ingressos gratuitamente através do projeto " Eu Faço Cultura".
 
Sinopse para roteiro
Com humor e delicadeza, história traz quatro recortes de vida que exploram as possibilidades de entendimento entre pessoas muito diferentes.
 
Frames
Com Daniel Rocha e Hugo Bonemer
Comédia de Franz Keppler
Direção: Camila Gama e Sandro Pamponet
Gênero: Comédia dramática
Temporada: até 24 de setembro
Sexta e Sábado, às 21h 
Domingo, às 19h 
Duração: 60 minutos
Classificação etária: 14 anos
Ingresso: R$ 60,00
Teatro Morumbi Shopping
Av. Roque Petroni Júnior, 1089

Comédia Hortance - A Velha, com Grace Gianoukas, estreia dia 9 de setembro

por Redação.

30/08/2017 20:19:00
 
Comédia Hortance - A Velha, com Grace Gianoukas, estreia dia 9 de setembro – sábado, no Teatro Renaissance, em São Paulo
 
Após passagem de sucesso pelo Rio de Janeiro, espetáculo com direção de Fred Mayrink fica em curta temporada na capital paulista até 29 de outubro
 
Chega a São Paulo no próximo dia 9 de setembro (sábado), o espetáculo teatral Hortance, A Velha, com a atriz Grace Gianoukas. A comédia de autoria de Gabriel Chalita, com a colaboração de Michelle Ferreira, Fred Mayrink e, pela própria Grace Gianoukas, desembarca na capital paulista depois de reconhecida e aclamada passagem pelo Rio de Janeiro.  O espetáculo consolida a bem sucedida parceria entre Gianoukas e Mayrink, ocorrida na novela Haja Coração, da TV Globo, em 2016.
 
Hortance é uma mulher pioneira, uma mulher empoderada, com uma alma livre,  a frente do seu tempo e que acabou vencendo diversas barreiras. Entre elas, foi expulsa de casa por ser “moderna demais”, tornou-se dona de um cabaré que recebeu diversas personalidades, como Shakespeare, Nero, Getúlio Vargas, Stalin, Sartre, Simone de Beauvoir e Che Guevara. Agora, quase centenária, revisita um apanhado de histórias que viveu e pessoas que conheceu. Mas Hortance já está um pouco esquecida, devido à idade, e confunde as histórias, os tempos e as biografias de todos que passaram por sua vida. A partir de todas estas lembranças, a Velha preenche os dias e reconstrói de maneira cômica e emocionante sua própria vida, afirmando a dignidade de envelhecer tendo-a vivida por inteiro.
 
avelha.jpg
Crédito: Priscila Prade
 
Dentro das paredes do cabaré, Hortance vive com um amontoado de recordações que acumulou ao longo da vida, além da companhia da irmã Aliquianni e de um gambá. Ao mesmo tempo em que se encontra imersa nesse universo particular, ela não está sozinha, em um dos momentos mais tocantes, Hortance vê no público sua companhia como clientes do cabaré para recriar essa jornada. Com o mundo inteiro dentro dela, Hortance é uma mulher de todos os tempos, de grandes amores e fortes laços de amizade.
 
Hortance, A Velha é uma obra não realista que, de forma leve, cativante e descontraída, convida o público para uma reflexão espontânea sobre o envelhecimento natural, o envelhecimento com dignidade. A comédia provoca risos, emoções, uma mistura de sentimentos - assim como a vida. O espetáculo é uma grande homenagem às mulheres e às pessoas em geral que, conseguiram, apesar de todas as dificuldades, seguirem seus objetivos de corpo e alma, provando como vale a pena viver.
 
Para Gianoukas, Hortance é uma oportunidade: “Tenho quase 34 anos de profissão e essa comédia veio como um abraço. Esse espetáculo amparado por todo mundo me dá a oportunidade de, como atriz, andar nessa estrada de sinuosas emoções.”
 
Ficha Técnica
 
Texto: Gabriel Chalita
Colaboração dramatúrgica: Fred Mayrink, Grace Gianoukas e Michelle Ferreira
Direção: Fred Mayrink
Elenco: Grace Gianoukas
Cenário: Juliana Carneiro
Iluminação: Paulo Brakarz
Figurino: Alessandra Barrios
Trilha sonora: Iuri Sant’Anna
Visagismo: Eliseu Cabral
Direção de Produção: Marlene Salgado
Assessoria de Imprensa: Marra Comunicação
 
Co-patrocínio:
Estácio - Ensino Superior do Brasil
CNA - Inglês Definitivo
Realização:
Fontes Paiva Realizações
Ministério da Cultura - Governo Federal
 
Hortance, A Velha
Teatro Renaissance
Endereço: Alameda Santos, 2233 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, 01419-002
Fone: (11) 4003.1212
Curta Temporada: de 9 de setembro a 29 de outubro
Dias e horários: Sábados, às 21h30 / Domingos, às 18h
Gênero: Comédia
Duração: 60 minutos
Classificação etária: acima de 14 anos
Capacidade: 420
Acessibilidade
Ingressos: R$ 80,00
Bilheteria: de terça a domingo, das 14h às 20h; pagamento em dinheiro e cartões

'Maria de Nazaré' estreia dia 2 de setembro, sábado, às 19h, no Teatro Ruth Escobar

por Redação.

25/08/2017 14:00:00
 
Um espetáculo de Lurimar Vianna baseado na obra de Sholem Asch
 
mariacartaz.jpg
 
Trazendo as lembranças da mãe do Cristo em sua passagem terrena, o solo, que conta com a atuação de Maritta Cury, revela uma Maria humana, uma Maria mãe e mulher. 'Maria de Nazaré' mostra, do ponto de vista de Maria, a cultura e os costumes da sociedade da época, através das suas vivências, seu cotidiano com a família e com Jesus. A peça 'fala' com católicos, espíritas, evangélicos, judeus e, inclusive, ateus, pois baseia-se na história, em fatos, para contar a trajetória de uma mulher simples e de grande amor maternal que supera a si própria, emergindo como redentora da humanidade.
 
Sinopse:
 
MARIA DE NAZARÉ – Baseado no livro 'Maria', de Sholem Asch, o solo narra as lembranças de Maria de Nazaré em sua passagem terrena, revelando uma Maria humana, uma Maria mãe e mulher. O espetáculo mostra, do ponto de vista de Maria, a cultura e os costumes da sociedade da época, através das suas vivências, seu cotidiano com a família e com Jesus.
 
maria1.jpg
 
Crédito das fotos:  Manacá Fotografia (Débora Freitas e Wellington Santos)
 
Ficha Técnica:
 
Texto e Direção: Lurimar Vianna – adaptação da obra 'Maria', de Sholem Asch
Assistência de Direção: Renato Scarpin
Elenco: Maritta Cury
Vozes em off: Arnaldo Ajani, Betto Nasci, Carla Pagani, Carô Carvalho, Gerardo Franco, Heyttor Barsalini, João Jelezoglo, João Pedro Jelezoglo, Khamilah Jelezoglo, Miguel Bretas, Rafael Mafetoni, Renato Scarpin, Ricardo Ciciliano, Silvio Toledo e Valéria Marcon.
Gênero: Monólogo – Drama
Duração:  75 minutos
Classificação: Livre
Figurino: Arlete Castro e Nilton Araújo
Cenário: Nilton Araújo
Aderecista: Ronaldo Eghito
Operador de som e luz: Junior Lima
Edição de áudio (trilha e vozes): Naluz Mídias
Fotografia: Manacá Fotografia (Débora Freitas e Wellington Santos)
Aconselhamento: Washington Luiz Nogueira Fernandes - a quem expressamos nossa profunda gratidão
Produção: Lurimar Vianna (Áquila Prisca) e Maritta Cury
 
MARIA DE NAZARÉ  – Texto e Direção: Lurimar Vianna (adaptação da obra 'Maria', de Sholem Asch). Assistência de Direção: Renato Scarpin. Elenco: Maritta Cury. Duração: 75 minutos.
Gênero: Drama.
Classificação: Livre.
Ingressos: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia). SÁBADOS, às 19h.
ESTREIA 02/09, até 25/11/2017.
 
TEATRO RUTH ESCOBAR – Sala Miriam Muniz (Capacidade 80 lugares)
Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista – Informações: (11) 3289-2358 / 99849-4234.
Bilheteria: quintas-feiras das 14h às 20h, sextas-feiras das 14h às 21h30, sábados das 12h às 23h e domingos, das 12h às 19h30.
Formas de pagamento: dinheiro, cheque, cartão de débito ou crédito (Master, Visa, Diners e Elo). Acesso a Deficientes Físicos. Venda de Ingressos oficial pelo site http://www.tudus.com.br.
Estacionamento ao lado do Teatro. Ar condicionado. Serviço de Valet: R$ 20,00.
 
Trabalhamos com desconto no ingresso para quem levar alimentos ou produtos de higiene pessoal para encaminharmos a entidades assistenciais (levando algum desses itens, o público paga apenas R$ 20,00 por ingresso ao invés de R$ 50,00).

Comédia "Não Vamos Pagar!" entra em cartaz no Teatro Folha

por Redação.

25/08/2017 01:09:00
 
Montagem com texto de Dario Fo tem produção e atuação de  Virginia Cavendish 
 
A comédia "Não Vamos Pagar!" do dramaturgo italiano Dario Fo inicia temporada no Teatro Folha dia 1º de setembro e fica em até 22 de outubro, com sessões de sexta-feira a domingo. Dirigida por Inez Viana, a peça, num ritmo dinâmico e divertido, mostra as hilariantes situações que envolvem as personagens Antônia e Margarida, donas de casa que fazem de tudo para manter suas finanças sob controle.
 
comedia.jpg
Edson Lopes Jr.
 
Antônia acaba de perder o emprego. Seu marido, João, trabalha em uma fábrica ameaçada de ser fechada. Em protesto contra aumento de preços, um grupo de mulheres decide invadir e saquear um supermercado. Entre elas, Antônia, que a partir daí se envolve em uma sequência de peripécias. O marido, cheio de valores e princípios éticos, prefere morrer de fome a fazer algo ilegal – e não faz ideia do que sua mulher tem feito. Somam-se a isso os problemas criados pela amiga Margarida, relutante em ajudá-la, e os vários encontros e incidentes com a polícia.
 
Na montagem tudo acontece de maneira muito ágil, graças ao elenco formado por Virginia Cavendish, idealizadora e produtora do projeto, Marcello Airoldi, Zéu Britto, André Dale e Luísa Vianna. O espetáculo estreou em 2014 e já percorreu 26 cidades, em temporadas de sucesso.
 
Os diálogos escritos por Dario Fo são ágeis, inteligentes e cheios de sátiras políticas. A diretora Inez Viana observa que a peça é muito atual porque as personagens vivem em crise financeira bem parecida com a que os brasileiros experimentam no momento. Ao mesmo tempo o texto permite que os atores brilhem e se divirtam nas situações cômicas. "É notória a inspiração de Dario Fo no popular para chegar ao erudito, mantendo a crítica, sempre no tom satírico, político e mordaz, sem perder a poesia e a esperança em dias melhores", destaca a diretora Inez Viana.
 
FICHA TÉCNICA
Idealização: Virginia Cavendish
Autoria: Dario Fo
Tradução: José Almino
Direção: Inez Viana
Elenco: Virginia Cavendish (Antônia), Marcello Airoldi (João), Luísa Vianna (Margarida), André Dale (Luís) e Zéu Britto (sargento, capitão e pai).
Iluminação: Renato Machado
Direção musical: Ricco Vianna
Figurino: Juli Videla
Cenário: Omar Salomão
Cenotécnica: André Salles
Design gráfico: Omar Salomão
Produção Executiva: Paulo Ferrer e Marcella Castilho
Assistente de Produção Executiva: Barbara Balian
Direção de Produção: Virginia Cavendish
Realização: Casa Forte SP Produções Artísticas
 
NÃO VAMOS PAGAR!
 
Teatro Folha
Estreia: 1º de setembro de 2017
Temporada até: 22 de outubro de 2017
Apresentações: sexta-feira, às 21h30; sábado, às 20h e 22h, e domingo às 20h
Ingresso: R$60,00 (setor 1) e R$40,00 (setor 2) às sextas-feiras; R$70,00 (setor 1) e R$50,00 (setor 2) aos sábados e domingos
Duração: 95 minutos
Classificação etária: 12 anos 
 
TEATRO FOLHA
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: http://www.teatrofolha.com.br