OMA | Galeria comemora três anos de atuação com mostra inédita

por Redação.

City Portal
21/06/2016 17:38:00
 
Entre junho e julho, as cinco obras do artista espanhol Javier Vazquez marcam o tom de celebração vivido pelo espaço
 
Música, diversão e gente feliz tem tudo a ver com festa de aniversário. Justamente estas três inspirações, e outras, são os temas da exposição inédita de Javier Vazquez, na OMA | Galeria. Com abertura marcada para o dia 24 de junho e encerramento para o dia 30 de julho, a mostra retrata uma celebração dos bons momentos vividos por jovens que participam de festas em que o autor costuma frequentar. “Em junho a galeria completa três anos. Nada mais justo que trazer um artista que possui obras carregadas de sensações positivas para iniciarmos um novo ciclo de trabalho”, comenta o galerista do espaço, Thomaz Pacheco.
 
oma1.jpg
 
Entre traços e pinceladas que de perto mostram-se grosseiros- em algumas obras há inscrições em inglês como “dane-se essa pintura” ou “eu não dou a mínima para essa pintura”-, em poucos passos de distância é possível enxergar toda a poesia que Vazquez deseja passar. A sensação universal dos momentos vividos no Festival Coachella (Bélgica), Festival Ultra (Estados Unidos), Circuit Festival Barcelona (Espanha) e Holly Collor Party (Londres) ficam evidentes, por exemplo. “A essência do projeto dele é a observação. Ele mesmo fala que a emoção e a canalização por meio da criação final que é a obra. Ele quer dar um ponto de vista dele de um tempo que o tocou. O projeto, segundo ele, nasceu a partir da observação de como crescem os jovens, que estão sempre rodeados de imagens estereotipadas e impostas”, explica Pacheco.
 
Esta é a primeira mostra de Javier Vazquez no Brasil. A entrada é gratuita, com classificação indicativa livre.
 
Três anos em números
 
Entre diversas ações internas e externas, a OMA Galeria conseguiu ampliar sua área de atuação e colocar sua missão de difundir e compartilhar com o maior número de pessoas atividades relacionadas às artes plásticas. 
 
1ª Exposição individual de Javier Vazquez no Brasil, na OMA | Galeria
Abertura: 24 de junho, a partir das 19h - Encerramento: 30 de julho
Endereço: Rua Carlos Gomes, 69, Centro - SBC
Horário: Visitação de terça a sexta, das 10h às 19h; aos sábados, das 10h às 14h
Classificação livre     
Gratuito

A arte de Sonia Silvério Aymar

por Redação.

City Portal
01/06/2016 18:44:00
 
Barra do Una no litoral norte de São Paulo, foi o lugar escolhido pela artista plástica licenciada pela USJT, Sonia Silvério Aymar (55), montar seu Estúdio.
 
sonia3.jpg
 
Junto ao mar e mata atlântica, mantém aberto ao público e Loja aonde expõe as obras pessoais e de artistas e artesões locais.
 
Com trabalho voltado para pintura e produção de objetos de decoração para casas de praia, estuda a fauna e flora da mata atlântica, que utiliza com frequência em suas obras.
 
sonia4.jpg
 
Encomendas chegam à todo momento, ora querendo peças exclusivas, ora buscando fazer um trabalho a quatro mãos. A arte é o que importa. 
 
Um dos pedidos incluía um bom número de pássaros locais para serem pintados em um vidro para porta de uma nova casa. Um agradável desafio, a final de contas, estar presente todos os dias à porta de alguém é uma honra para qualquer artista.
 
sonia5.jpg 
 
Pois bem, a artista destacou além de 1 pica-pau amarelo como motivo central, saíra, sete cores, bonito e tiê-sangue entre outros, que ficaram posicionados como se estivessem pousados na grade de ferro.
 
sonia1.jpg sonia2.jpg
 
O trabalho bem sucedido com pintura de telas e painéis impulsionou a artista que é experimentalista a mais esse desafio, que resultou nesse vitral de boas vindas.
 
O Estúdio Sonia Aymar fica na Av. Magno dos Passos Bittencourt nº 1.706 está aberto inclusive nos finais de semana, tel. 11- 99579-3723, facebook: sonia aymar ou página estúdio sonia aymar  sempre á disposição para contatos.

"Picassos de Picasso"

por Redação.

City Portal
21/05/2016 23:17:00
 
O homem com barba vetusta tasca um beijaço em uma mulher de olhar desvairadamente triste. Em O Beijo, produzido quando o pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973) já era quase nonagenário, a boca do homem e a da mulher devoram-se em traços convulsivos. A tela, reproduzida ao lado, surge lá pelo final do generoso apanhado de 153 itens distribuídos em ordem mezzo temática, mezzo cronológica na exposição Picasso: Mão Erudita, Olhar Selvagem, em cartaz a partir deste domingo, 22, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo
 
picassorest.jpg
 
No juízo que sempre prevaleceu entre os críticos, a tela é exemplar típico de uma fase tardia e menor, quando nem a crueza sexual disfarçava o labirinto de autocomplacência em que o pintor mais famoso do século XX se enfurnara com prazer. Mas, para além do julgamento estético, O Beijo prova que Picasso chegou ao fim da carreira ainda mergulhado na contradição que seria o combustível de uma obra fundamental para quem deseja compreender a arte e o espírito de seu tempo. Pois Picasso foi como um ser de duas faces condenadas a um eterno beijo: impossível separar o hedonista cafajeste que usava as pessoas (notadamente, as mulheres) para alimentar sua segunda face, a do artista egocêntrico mas melancólico, solitário e fixado na ideia da própria morte.
 
A maior retrospectiva de Picasso no país em mais de uma década - que deverá passar também pelo Rio de Janeiro ainda neste ano - oferece uma janela indiscreta para flagrar as tensões entre os dois lados desse Dr. Jekyll e Mr. Hyde do modernismo. O acervo vem do Museu Picasso, instituição parisiense que abriga 5 000 obras e dezenas de milhares de peças de memorabilia da coleção pessoal do pintor. Tudo isso foi doado por sua família ao Estado francês como forma de abater impostos de transmissão de herança. Sediado em um prédio elegante no bairro do Marais, o museu de Paris foi reaberto em 2014, após uma reforma que se arrastou por cinco anos e terminou em barraco: sua antiga diretora, Anne Baldassari, foi demitida em razão de denúncias de má gestão e abuso de poder. 
 
Com o fim da crise, o mundo voltou a ter acesso a um museu que oferece a possibilidade de conhecer Picasso, mestre cuja obra é indissociável da personalidade flamejante, por uma perspectiva mais íntima. Lá estão, afinal, as obras que o artista quis conservar consigo.
 
A mostra brasileira atesta as surpresas que se podem extrair desse baú dos "Picassos de Picasso". As pinturas que ele produziu na juventude confirmam a noção muito propalada de que, aos 12 anos, o virtuose já desenhava como o renascentista Rafael Sanzio. A obra mais antiga da exposição, um retrato de um anônimo, foi executada quando ele era pouco mais velho que isso e bebia da escola naturalista espanhola. Entre os Picassos precoces há flertes com o impressionismo e com a paleta emocional de um Van Gogh. A sombra do mestre holandês aparece, aliás, na pequena mas impressionante tela A Morte de Casagemas, de 1901. Nela, Picasso retrata um amigo que cometeu suicídio. Em vida, o pintor nunca quis exibir em público a figura com rosto verde funesto e a marca de um tiro na têmpora. Depois de perder o amigo, Picasso mergulharia em sua melancólica fase azul - que hoje vale uma grana preta e à qual pertence outra obra marcante da exposição, Retrato de um Homem.
 
Instituto Tomie Ohtake
22/05
HORÁRIO
Terça a domingo das 11h às 20h
ENDEREÇO
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201
(entrada pela Rua Coropés, 88)
Pinheiros - São Paulo - SP
A 800m do Metrô Faria Lima (Linha Amarela)
TELEFONE
11 2245 1900
ENTRADA GRATUITA 
*Algumas exposições têm entrada paga. Consulte a programação para mais informações.
O Instituto Tomie Ohtake possui elevadores para acesso aos visitantes com mobilidade reduzida.
 
Marcelo Marthe | Veja.com

Série Jardim Imaginário inaugura a instalação “Controle Remoto” na Fundação Ema Klabin

por Redação.

City Portal
30/04/2016 15:24:00
 
A Fundação Ema Klabin inaugura no próximo sábado (30), às 13h, a terceira  edição da série Jardim Imaginário.  Com curadoria de Gilberto Mariotti, esta edição conta com a participação da dupla de artistas plásticos Gisela Motta e Leandro Lima que apresentam a instalação “Controle Remoto”.
 
controler.jpg
 
Estarão dispostos no Jardim da Fundação, projetado por Burle Marx, trinta casinhas de passarinhos feitas em madeira, dispostas em seis fileiras de cinco casas, formando um conjunto habitacional. Dentro de cada casa é possível observar luzes e sons de vários programas de televisão.
 
O trabalho utiliza diversas linguagens como vídeo, objetos e instalação, para criar situações em que elementos naturais e artificiais emulam o comportamento orgânico, problematizando as relações entre natureza e cultura, real e artificial. A obra faz alusão ao papel exercido pela mídia nas dinâmicas de comunicação, entre a esfera pública e o espaço privado”, explica o curador Gilberto Mariotti.
 
Projeto Jardim Imaginário - Instalação “Controle Remoto” – de Gisela Motta e Leandro Lima
Curadoria: Gilberto Mariotti
Abertura: Dia 30 de abril, às 13h. Aberta ao público em geral
Período: De 30 de abril de 2016 à 2 de julho de 2016. Terça a sexta: das 14h às  17h.  Sábados de show: das 14h às 16h30.
Ingresso: Entrada Franca.
Conheça o trabalho dos artistas: http://www.aagua.net/
Indicação: Livre
Fundação Ema Klabin   - Endereço:  Rua Portugal, 43, Jardim Europa, São Paulo
Tel. 11 3897-3232
Não há estacionamento no local 

James Lisboa Leiloeiro Oficial reúne 160 obras em leilão de arte em São Paulo

por Redação.

City Portal
10/03/2016 17:42:00
 
Com a credibilidade e experiência de 30 anos no mercado, James Lisboa Leiloeiro Oficial organiza no dia 21 de março às 21 horas, a primeira edição do ano de seu tradicional leilão. Com obras de arte moderna e contemporânea, o evento acontece em seu escritório localizado no Jardins, na Rua Dr. Melo Alves, 397. Os lotes compreendem obras de 93 artistas como Leda Catunda, Burle Marx, Flavio de Carvalho, Tomie Ohtake e Siron Franco, com pinturas, gravuras e esculturas.
 
amilcarcastro.jpg
 
Amilcar de Castro, Sem Título, 100 x 100 x 2,5 cm, escultura em aço corten, ass. na peça, Registrada no Instituto sob o código CDQ - 02 - tombo 01.14.01.01.4533 - R$ 550.000,00
 
Esta edição conta com obras nunca negociadas como seis gravuras de uma coleção de 1971 da pintora e desenhista Tarsila do Amaral. Outros destaques são as duas pinturas acadêmicas e inéditas de Alfredo Volpi, ambas da década de 1920, além da escultura em aço corten, de Amilcar de Castro, avaliada em R$550 mil. Uma oportunidade imperdível de adquirir peças de artistas renomados com valores que variam de R$ 1.000,00 a R$ 550 mil reais.
 
As obras estarão expostas do dia 14 de março até a data do leilão. Neste período serão possíveis lances prévios, por telefone ou por e-mail. Os interessados poderão acessar o site http://www.leilaodearte.com onde será possível assistir e participar, em tempo real, como se estivesse na sala do pregão. Para fazer parte do leilão online é necessário uma inscrição prévia, também pelo site.
 
Em 2015, James Lisboa Leiloeiro Oficial, foi reconhecido como uma das melhores casas de leilão do mundo pela revista norte americana Art+Auction, que o incluiu na edição especial das 250 melhores casas do setor. O leiloeiro realiza há três décadas, quatro leilões por ano com importantes captações no mercado das artes incluindo raridades para investidores e apreciadores de arte.
 
James Lisboa Leiloeiro Oficial reúne 160 obras em leilão de arte em São Paulo
21 de março às 21h
James Lisboa Leiloeiro Oficial - Rua Dr. Melo Alves, 397 – Jardins
É necessária inscrição prévia realizada no site para o leilão online, no leilão presencial é possível efetuar cadastro na hora
A mostra do acervo ficará em exposição entre os dias 14 e 21 de março, das 10h às 19h.
Aberto ao público