Emma Thomas inaugura “Corpos D’água”, individual de Erica Ferrari

por Redação.

 
Mostra aborda o caótico processo de urbanização da cidade de São Paulo
 
No dia 25 de julho, a Emma Thomas inaugura “Corpos D’água”, exposição individual de Erica Ferrari, na qual a artista exibe uma grande instalação, três objetos de parede e um conjunto de fotografias. A mostra fica em cartaz até 22 de agosto.
 
A instalação produzida para a exposição é formada por três painéis de grandes dimensões, fixados lado a lado na parede de fundo da sala principal da galeria, com objetos dispostos em ambos os lados. Nos dois suportes, que se complementam na obra, Erica desenvolve traços das raízes de seu trabalho artístico, ao mesmo tempo em que explora novas linguagens.
 
Os painéis, por exemplo, são produzidos em fórmica colorida, recortada e colada, técnica com a qual Erica Ferrari produz há tempos. Ao invés de um fundo rígido, contudo, dessa vez a artista opta por um tecido maleável. Já os objetos, fragmentos arquitetônicos, são dispostos de cabeça para baixo. Em trabalhos anteriores, a artista já havia utilizado distorções de eixo, mas é a primeira vez que aplica esse olhar em tridimensionais.
 
Para essa instalação, Erica Ferrari utiliza como referência para os painéis o mapa hidrográfico de São Paulo, concentrando-se na região onde a galeria está localizada – nas imediações dos bairros Jardim América e Pinheiros. Os objetos, por sua vez, são baseados na arquitetura de edificações existentes nesses bairros. Esses recortes de construções, colocados de ponta-cabeça, são vazados e preenchidos por água.
 
Com essa obra, a artista realiza uma experiência estética do processo agressivo de urbanização pelo qual a cidade de São Paulo passou no século passado. Através da água, utilizada tanto como elemento gráfico quanto como material de produção, Erica faz referência aos rios da cidade, que tiveram seus cursos desviados e retificados para dar lugar ao avanço da metrópole, hoje impermeabilizada por concreto e asfalto, o que gera consequências no cotidiano de seus habitantes, seja em questões práticas ou mesmo na paisagem local. “É uma tentativa de abarcar, a partir de pesquisa e síntese, o que envolve viver ininterruptamente na metrópole e o que poderia ser uma abordagem estética correlata. O grau de intervenção que os cursos de água da cidade sofreram é extraordinário e dizem muito a respeito da nossa mentalidade histórica”, conta a artista.
 
“Corpos D’água” apresenta ainda, no corredor da galeria, um conjunto de fotografias, sendo uma delas um registro da instalação numa rua da região escolhida como tema pela artista. Com isso, Erica Ferrari promove um diálogo com o real, apontando para as origens de sua obra. Ao lado dessa fotografia é fixada uma gravura, com um desenho que se relaciona com ela. Em outras fotografias, a artista exibe referências, que vão da arquitetura da cidade ao cinema. No espaço expositivo ao fundo da Emma Thomas, Erica mostra três objetos de parede – obras que fazem parte da série “Não há imagens para o infinito”.
 
“Corpos D’água”, por Erica Ferrari @ Galeria Emma Thomas
Abertura: 25 de julho, quinta-feira, às 18h
Período expositivo: 26 de julho a 22 de agosto
Rua Estados Unidos, 2205, Jardins – São Paulo
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
Segunda a sexta das 11h às 19h, sábados das 11h às 17h
Entrada gratuita/ Livre 

Artista Brasileiro conquista Medalha de Ouro no Musée du Louvre, Salle Le nôtre, Paris, França

por Redação.

 
O artista brasileiro Marco Antonio Braga, conquistou a Medalha de Ouro na "II Mostra Brasileira ANAP au Louvre", 2013, Musée du Louvre, Salle Le nôtre, Paris, França,
com o trabalho Marco Antonio Braga © "LUZ SOBRE DEONOMO"* PERÍODO DA DEFINIÇÃO, SÉRIE DEONOMO, 2013, 40 X 30 cm, Lápis artístico, acrílico e tinta metálica sobre papel
Confiram a premiação

Carmen Pousada apresenta a exposição “Era Uma Vez...” na Fibra Galeria de Arte

por Redação.

10 de julho a 02 de agosto
 
 
VERNISSAGE – 10 DE JULHO ÀS 19:30 ao som de um piano suave de Betth Ripoli!
 
 
Nas mãos das crianças o mundo vira um conto de fadas, porque na inocência do sorriso infantil, tudo é possível, menos a maldade.
 
Crianças são anjos, são pedaços de Deus que caíram do céu para nos trazer a luz viva que há de fazer ressuscitar a verdade que vive escondida em cada um.
 
De olhos abertos a criança não enxerga o feio, o diferente, apenas aceita o modo de ser de cada um que lhe dirige o caminho.
 
De ouvidos atentos a criança gosta de ouvir tudo como se os sons se misturassem formando uma doce vitamina de vozes, vozes que ela pode imitar, se inspirar para crescer.
 
Criança nos lembra: cor, amor, arco-íris, rosas, doce de brigadeiro, tintas das cores:vermelha, laranja, azul, amarelo; me lembra cachoeira, pássaros, dia de festa.
 
Ser criança é estar de bem com a vida, é ter toda a energia do Universo em si.
 
Assim, depois do sucesso das exposições “O Feminino por Elas e por Eles”, na Galeria Entrecores, estamos organizando uma nova exposição cuja temática se propõe a homenagear nossas crianças.
 
Aproximando-nos delas através da arte.
 
Com organização de Carmen Pousada, a exposição “Era Uma Vez...” reunirá vários artistas selecionados, com obras de excelente qualidade e criatividade, sob o conceito “felicidade ingênua”, voltada ao singelo e ao lúdico e acontecerá de 10 de julho a 02 de agosto, na Fibra Galeria de Arte.
 
Artistas Participantes:
Albertina Prates
Ana Lúcia Guerra
Beto Golzer
Dani Cortez
Edu Cardoso
Koz Palma
Marcia Morastega
Paula Dias
Patricia Azoni
Sonia Talarico
Stela Carvalho
Zulma Werneck
 
O evento tem a abertura dia 10 de julho ás 19h30 e acontece até 02 de agosto na Fibra Galeria de Arte
Rua Tupi, 792B – Pacaembu – São Paulo
Horário de segunda à sexta : 11h às 19h
Sábados: 11h às 14h.

Caixa Cultural SÃO PAULO apresenta Exposição de LUCAS SIMÕES

por Redação.

 
 
Artista plástico desconstrói imagens a partir de novos suportes e materialidades
 
 
A CAIXA Cultural São Paulo apresenta, de 20 de julho a 20 de outubro, a exposição “Lucas Simões”, projeto no qual o artista plástico pesquisa o suporte e a materialidade da fotografia, explorando suas possibilidades de profundidade e volume, por meio de sobreposições, recortes e curvaturas. A exposição é produzida pela Fundação Gilberto Salvador e tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.
 
Lucas Simões é um artista independente, com formação em Arquitetura e Urbanismo. Em seu processo criativo o artista busca intervir em objetos ou imagens que carregam significados, os quais ele dobra, corta e desconstrói em novas formas, e cria uma nova representação de imagens que oscilam entre beleza e estranhamento, movimento e profundidade.
 
A exposição, que tem curadoria do artista plástico Gilberto Salvador,  revela em dois núcleos formados por 26 obras – “Quase Cinema” e “Desretratos e Desmemórias” – dois processos diferentes de intervenção sobre fotografias, com recortes, costuras e sobreposições.
 
O núcleo “Quase Cinema”, composto por oito obras, propõe uma releitura da fotografia como narrativa, por meio do alongamento e repetição da imagem. O efeito é obtido com o uso de imagens costuradas em madeira e tecido. As sequências formadas dão a sensação de movimento. Esse núcleo é ainda, dividido em duas séries: “Verdade é uma colagem contínua”, onde Lucas se apropria de imagens de edifícios cuja monumentalidade é reflexo de uma ideologia por trás de seu comissionamento e “Ficções”, em que paisagens originais são desmontadas por meio de manipulações digitais.
 
Já o núcleo “Desretratos e Desmemórias” é formado por 18 obras, compostas por fotografias recortadas e sobrepostas, entre chapas de acrílico. Em “Desretratos”, o artista utilizou retratos feitos no momento em que amigos íntimos contavam um segredo. A intenção era capturar as expressões de cada um na hora de revelar o segredo. Em “Desmemórias”, Simões utiliza fotografias de velhos amigos de infância e pessoas que ele acabara de conhecer.
 
Palestra com visita guiada com o artista:
 
Na sexta-feira, dia 13 de setembro, às 14h, o artista Lucas Simões realiza a palestra com visita acompanhada com o artista com o tema “Processo Criativo”, na CAIXA Cultural São Paulo. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até 10 de setembro, sujeitas ao limite de 50 pessoas, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
 
Exposição “Lucas Simões”
 
Abertura para convidados e imprensa: 20 de julho de 2013 (sábado), às 14h
Visitação: de 20 de julho a 20 de outubro de 2013
Horários: de terça-feira a domingo, das 9h às 20h
Local: CAIXA Cultural São Paulo
Endereço: Praça da Sé, 111 - Centro
Telefone: (11) 3321-4400
Entrada franca
Classificação indicativa: livre para todos os públicos 
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal
Programação completa da CAIXA Cultural: www.caixa.gov.br/caixacultural

BATBACUMBA: Arte e Música com Pitada Nordestina

por Redação.

 
Em clima de São João, a festa mistura clássicos e brasilidades dançantes e homenageia os grandes heróis do nordeste brasileiro
 
Em sua 4ª Edição, a festa BATBACUMBA leva para o Mundo Pensante uma noite inspirada no típico São João nordestino e aproveita o clima de manifestações que ocorrem no Brasil para homenagear os grandes heróis do povo, que através de sua arte, literatura, música e atitudes marcaram história no nordeste brasileiro.
 
Com direito a decoração especial, quitutes típicos, vinho quente e quentão para esquentar a noite fria, a celebração também cria uma reflexão ao resgatar e homenagear de forma artística os “heróis do povo nordestino”, como Lampião, Mestre Vitalino, Antonio Conselheiro, Guerra Peixe, Paulo Freire, Pinto do Monteiro, Jorge Amado, José de Alencar, Nelson Rodrigues, Padre Cícero, Luiz Gonzaga, Capiba, Raquel de Queiroz, Gregório de Matos, Manuel Bandeira, Coronel Ludugero, Jackson do pandeiro, J. Borges, Dorival Caymmi, Hermeto Pascoal, Ariano Suassuna, José Condé e outros.
 
O show fica por conta do músico cearense Geraldo Junior, que em sua interpretação pulsante mistura ritmos, poesia, danças e cores do nordeste brasileiro. O Dj Joao Laion anima a pista com suas brasilidades e a presença do percussionista Gustavo Da Lua, DJ convidado da noite, promete embalar a festa com os ritmos mais quentes do São João nordestino. No mesmo tema, o videomaker Pedro Cintra vai apresentar suas projeções e os artistas visuais Bárbara Kramer, Tom Dias, Fernando Felix, Gil Duarte e Vitor Zanini apresentarão cinco obras exclusivas que estarão expostas e à venda na festa.
 
Com manifestações artísticas inspiradas na cultura nordestina, BATBACUMBA reúne arte e música trazendo para noite paulistana um resgate aos grandes nomes da cultura nacional. BATBACUMBA traz a mistura dos ritmos mais dançantes do Brasil, resgatando os clássicos dos anos 70 ao melhor da música atual. Uma verdadeira salada musical que combina o ar tropicalista, a pimenta nordestina, o soul carioca e o samba da terra da garoa. 
Teaser da Festa:

 
SHOW: GERALDO JUNIOR
 
 
Cantor, compositor e performer, Geraldo Júnior desenvolve-se nesse contexto, como um aglutinador das artes populares através de uma leitura contemporânea, aliada as suas diversas influências e referências, que vãos das tradicionais até as mais modernas. A obra de Geraldo Junior revela-se na sua interpretação. Uma pulsante celebração da alegria e fulgor da nossa ancestralidade evidenciando sua maturidade enquanto músico que canta e encanta. Geraldo Junior utiliza esses elementos tradicionais como ferramenta para fundir e resignificar todas essas linguagens. A misticidade que gira em torno do imaginário popular, é apresentada nos diversos aspectos que envolvem o espetáculo, música, dança e performance.
 
EXPOSIÇÃO: SÃO JOÃO DA REVOLUÇÃO
 
 
BÁRBARA KRAMER
Bárbara nasceu em Brasília. Fez seus primeiros cursos na Escola MS Desenhos e no Senac. Formou-se em São Paulo no Instituto Europeo di Design e logo após lançou sua grife Saravah, em 2011. Sua maior Influência é a moda.
Bárbara adora criar ilustrações digitais e manuais. Seus desenhos tem traço fino, são livres e ousados. Bárbara explora em boa parte de suas criações os elementos da natureza. Encanta-se também em retratar toda sutileza e delicadeza feminina. Parte de sua obra pode ser encontrada na Urban Arts. Veja mais: http://www.urbanarts.com.br/perfil-artista/barbara-kramer/
 
 
GIL DUARTE
O Pop Naïf Reciclado de Binário Armada é o Projeto Visual do músico Gil Duarte. Seu trabalho traz cenas multi-linguagem, colagens da pop art, e bases recicladas resgatada através de seus traços naif.
Suas obras despertam o olhar da memória sobre o presente e encantam os olhos daqueles ávidos por novidade. Suas cores e formas representam o traço contemporâneo de um artista sedento e inquieto. É algo para ser visto e sentido em sua plenitude.
 
 
TOM DIAS
Tom Dias é um entusiasta curioso motivado a fazer sempre coisas diferentes e fugir da rotina sempre quando aparece uma oportunidade. Formado em Design Gráfico pela Belas Artes de São Paulo, Tom acredita que a forma está em constante mutação e que seu traço representa aquilo que ele é em todos momentos de sua vida. Seja orgânico, sujo, bagunçado, etc.
A criatividade é abundante na desorganização, no caos e a tarefa é traduzir essa "bagunça" pra que todos vejam sua beleza.
 
 
VITOR ZANINI
O artista vem criando desde 2007 trabalhos com colagem e animação. Atualmente produz pinturas e vídeos que mostram a relação de seu trabalho com o movimento da cidade.
 
 
FELIX
Designer gráfico com raízes na arte underground. Busca mostrar em seus desenhos ricos em detalhes, temas que abrangem o psicodelismo e misturas de temas folclóricos. 
Tem como inspiração principal a arte underground e o cotidiano urbano com seus desafios diários.
 
JOAO LAION (DJ RESIDENTE)
Faz parte do seu set os ritmos mais dançantes do Brasil, de clássicos dos anos 70 ao melhor da música atual. Fazendo uma salada musical que combina o ar tropicalista, a pimenta nordestina, o soul carioca e o samba da terra da garoa.
Ouça:
 
GUSTAVO DA LUA (DJ CONVIDADO)
 
É um percussionista, compositor e cantor pernambucano. Faz parte de sua pesquisa musical ritmos como coco, embolada, samba, ciranda, afrobeat, funk e soul. Atualmente acompanha as bandas Nação Zumbi, Afrobombas e Los Sebosos Postizos.
 
PEDRO CINTRA (PROJEÇÃO)
 
Pedro Cintra é um videomaker que iniciou suas criações ainda criança. Formado em Audiovisual, Pedro vem realizando trabalhos ligados à fotografia, curta-metragem, documentário e videoarte.
Veja mais:
 
 
 
SÃO JOÃO DA BATBACUMBA
Show Geraldo Junior | DJ Joao Laion e Gustavo Da Lua| Projeção: Pedro Cintra
Exposição: Bárbara Kramer, Gil Duarte, Tom Dias, Vitor Zanini e Fernando Felix
Quando: 06/07/2013 | 22h