selo Anuncieaqui triplo

Ex-senador perseguido por Morales e Dilma se acidenta ao pilotar avião em Luziânia

por Redação.

12/08/2017 22:27:00
 
Encontra-se em estado grave, com traumatismo craniano, trauma de face e de abdômen o ex-senador boliviano Roger Pinto Molina, 58, cujo avião que pilotava caiu logo após a decolagem do Aeroclube de Luziânia (GO), no Entorno de Brasília. Ao ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros de Goiás, ele sofreu parada cardiorrespiratória. A informação é do Diário do Poder.
 
aviaoacidentado.jpg
FOTO|CORPO DE BOMBEIROS DO DF
 
O acidente, segundo os Bombeiros, deixou Molina com várias lesões pelo corpo, mas consciente, no momento do atendimento. Ele foi transportado de helicópetero para Brasília.  
 
O avião caiu na cabeceira da pista logo após a decolagem. Não houve explosão após a batida com o solo.
 
Uma equipe do Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) da FAB foi deslocada para o local para fazer a coleta de dados para a investigação que irá explicar a queda do avião.
 
A história de Roger Pinto Molina ficou conhecido em 2013, quando ele buscou asilo político em razão de cruel perseguição política do presidente cocaleiro Evo Morales, que não permitiu sua saída do pais. Molina ficou quase 500 dias na embaixada do Brasil, e passou a sofrer humilhações por ordem do então ministro das Relações Exteriores do governo petista de Dilma Rousseff, aliada de Morales, até que conseguiu deixar o território boliviano com ajuda de um diplomata brasileiro, o hoje embaixador Eduardo Sabóia. A viagem, de carro, entre La Paz e Corumbá (MS), durou 22 horas, e foi feita em um carro da embaixada do Brasil, com apoio de fuzileiros navais. 
 
Apesar de sua atitude heróica, Sabóia também foi alvo de perseguição implacável do Itamaraty, por ordem de Dilma. Atualmente, ele é chefe de gabinete do ministro Aloysio Nunes (Relações Exteriores).