selo Anuncieaqui triplo

“Nosso mundo é o palco onde os sonhos ganham vida”

por Alberto Pinto.

06/05/2016 22:34:00
 
renata1.jpg
 
“Nosso mundo é o palco onde os sonhos ganham vida”
Renata Borges Pimenta Valle
 
Não tenho como começar essa matéria sem contar do fascínio que senti quando a conheci pessoalmente na coletiva de imprensa do musical Cinderella. Nós da coletiva, estávamos todos tensos devido alguns acontecimentos em torno da produção do musical e parecia que, mais importante do que o próprio musical eram os tais acontecimentos. Pois bem, sentada ao lado do diretor Charles Möeller, com seu olhar enfático, imobilizou todos os presentes com suas explicações sobre a história da montagem aqui no Brasil.
Naquele dia, feitas as minhas perguntas, queria conhecer um pouco mais e saber o que mais existia além daquela postura super profissional que nos passava a diretora da “Fabula Entretenimento”. Então sonhei em ela responder aquele famoso questionário Proust, uma brincadeira singela, mas que poderia nos mostrar mais sobre aquele “monumento” de profissionalismo. E sem muita pretensão, entrei em contato com ela que imediatamente topou a brincadeira.
 
Mas antes de irmos ao questionário, quero aqui deixar o depoimento de um dos grandes do teatro musical:
 
cbotelho.jpg
 
RENATA BORGES, que conheço relativamente há pouco tempo, é uma grata surpresa na nossa profissão.
Uma produtora com temperamento de produtora. Isso é raro por aqui.
Temos no Brasil a tradição de que os artistas sempre se autoproduziram.
São seminais e clássicas as companhias de Eva Todor, Dulcina de Moraes, Sérgio Brito, Procópio Ferreira, estas no passado, e mais recentemente Marco Nanini, Marieta Severo, Antônio Fagundes, Ary Fontoura, entre os maiores nomes da nossa profissão, todos costumam produzir seus próprios espetáculos com enorme competência.
Desde a saída de cena de empreendedores como Oscar Ornstein e Victor Berbara, que trouxeram ao Brasil os grandes espetáculos estrangeiros nos anos 1960/70, a posição de produtor foi geralmente ocupada por profissionais que vieram de carreiras no palco e decidiram enveredar pela produção, ou mais recentemente de outsiders que nem têm exatamente identidade ligada ao teatro, não são ligados a repertório ou ao conteúdo do que levam à cena, mas sim ao empreendimento em si.
Pois vejo em Renata Borges a volta de uma figura fundamental no nosso meio que é a do Produtor que sabe o que está apresentando, preocupa-se com acabamento, finalização, entrega do espetáculo, e, no entanto, não tem veleidades artísticas, não é alguém que gostaria de estar em cena ou na direção, é alguém com vocação natural para ser PRODUTOR.
Creio que Renata vai trazer ao público muito teatro de qualidade, muitas escolhas baseadas em critérios artísticos aliados a potencial de mercado, porque vivemos do que fazemos, não existe teatro quando não há público. Eu saúdo Renata como colega, e aprecio sua força de vontade destemida para fazer o “quase impossível”... acontecer! ” Claudio Botelho
 
Bem, dito isso, vamos conhecer mais um pouco dessa “A Produtora”.
 
Casada, jornalista de formação, com passagem pela emissora CNT. Sempre atuante no jornalismo, se dedicou em assessorar personalidades, empresas e grandes marcas. Atuou na área de eventos e foi na Formula 1 que adquiriu larga experiência em contratos de marketing.
Nos últimos 8 anos resolveu se dedicar as captações culturais ajudando diversas produtoras a colocarem seus projetos nos palcos brasileiros. Ao lado de Douglas Carvalho Jr., Raphaela Carvalho e Luiz Castro decidiu que era a hora de montar a sua produtora e criaram a Fabula Entretenimento, que chega ao mercado para oferecer musicais da Broadway produzidos no Brasil com qualidade e profissionalismo.
 
cinderella1.jpg 
 
Coletiva de imprensa do musical Cinderella (São Paulo), em junho estreia no Rio de Janeiro
 
Agora, vamos às respostas do famoso questionário Proust, que, não foi criado por Marcel Proust (1871-1922), mas ficou famoso por ele ter respondido. Na época da adolescência do escritor, cadernos com esse tipo de questões eram um passatempo comum.  Ele respondeu ao de sua amiga Antoinette quando tinha 18 anos. Esse manuscrito foi encontrado em 1924 e, desde então, popularizou-se como uma forma de entrevista-padrão. Várias celebridades já o responderam em uma seção fixa da revista Vanity Fair ou no programa de TV Inside the Actors Studio, por exemplo.
 
renata2.jpg
 
“Não consigo fazer algo mais ou menos.
Me sinto como se tivesse enganando alguém.
Me cobro muito”
 
Qual o principal aspecto de sua personalidade?
Sou muito exigente e impulsiva.
 
Qual sua qualidade favorita num homem?
A generosidade e a forma educada que trata a todos de uma maneira geral. 
Mas acima de tudo preciso admirar este homem.
 
Qual sua qualidade favorita numa mulher?
A elegância em gestos e atitudes
 
O que mais aprecia nos amigos?
O fato de serem meus amigos, de me aturarem (risos) de estarem ali para mim assim como estou para eles. Amizade para mim é coisa muito séria. Tenho poucos amigos, mas estes poucos nenhum dinheiro compra.
 
Qual seu principal defeito?
Não consigo fazer algo mais ou menos. Me sinto como se tivesse enganando alguém. Me cobro muito.
 
Qual seu passatempo favorito?
Sonhar. Realizar sonhos. Trabalho para isso. Ah! e viajar.
 
Qual sua noção de felicidade?
Estar com meu filho, meu marido, meu enteado. Meus bichos. Olhar em volta e dizer: como sou feliz! Felicidade depende de coisas simples. Mas a simplicidade precisa ter verdade! Fazer o que tenho vontade
 
renata3.jpg
 
Qual sua noção de infelicidade?
Perder alguém! Não existe infelicidade maior.  Ver alguém morrendo e não poder fazer nada...
 
Se você não fosse você mesma, quem seria?
Ayrton Senna. Sou fissurada por F1.
 
renata4.jpg
 
Renata e seus ídolos da F1
 
Onde gostaria de morar?
Exatamente onde moro. 
Mas em um sonho ideal em um mundo sem doenças e sem violência. 
Onde o respeito e a compaixão pudessem reinar. 
 
Qual sua cor favorita?
Preto. Adoro, acho clássico, emagrece e sempre muito elegante. 
 
Qual seu escritor favorito?
Scott Fitzgerald, Marcel Proust e Leon Tolstói.
Mas no total das obras, William Shakespeare e Hernest Hemingway 
 
Qual seu poeta favorito?
Carlos Drummond de Andrade e Vinicius de Morais no topo. 
Mas tenho lido muitas coisas interessantes de T.S Eliot. Gosto muito de Rainer Maria Rilke .
 
Qual seu herói favorito na ficção?
Iron Man e Superman. 
 
Qual sua heroína favorita na ficção?
Adoro a “Mulher Maravilha”.
 
volpi1.jpg
 
Quais seus pintores favoritos?
Adoro artes. Fiz curso em Londres.
Sem dúvida Michelangelo, Velásquez Caravaggio, Botticelli e Renoir. 
Pintores que aprecio ou que tenho alguma obra no Brasil são Virgílio Dias, Nuno Ramos , Claudio Dantas.  
A Autodidata de Heitor dos Prazeres encanta. Caribé e Di Cavalcanti. Quando era mais nova ficava admirando um dos quadros dos meus pais. Umas bandeirinhas. Claro era um Volpi que mais tarde fui compreender.
Anitta Malfatti e Tarsila do Amaral. Gosto muito! A Beatriz Milhazes amo!
Uma obra da querida Isabella Francisco foi a última que adquiri. Um luxo!
 
Quais seus compositores favoritos?
Compositores os quatro de Viena: Haydn, Mozart, Beethoven e Schubert. Outro que me encanta é Debussy. Mas o mais completo sem dúvida é Bach.
No Brasil gosto de ouvir Tom e Vinicius.  Cartola e Gonzaguinha na raiz na nossa cultura são referências.
Na música brasileira contemporânea gosto de Seu Jorge.
Falando de Broadway curto George Gershwin. Ele ao mesmo tempo compôs para Broadway e teve suas músicas interpretadas por diversos ícones como Fred Astaire, Billie Holliday , Frank Sinatra, Julie Andrews e Judy Garland, até Madonna, Sting entre vários outros .
Veja o CD de  Ella Fitzgerald Sings The George and Ira Gershwin é um escândalo! Não posso deixar de citar Heitor Vila Lobos. Na Broadway a contribuição dele foi com Magdalena(1). E no topo a dupla Richard Rodger e Oscar Hammerstein II. Fazendo Cinderella e pela minha paixão pelos musicais da Broadway eles são para mim os melhores. A dupla se completava. Um compondo as músicas e o outro escrevendo as letras.
 
(1)”Magdalena”, em 2 atos, foi encomendada a Heitor Villa-Lobos pelos letristas americanos Robert Wright e George Forrest – dupla responsável pela bem sucedida montagem de “Kismet”, musical adaptado sobre a obra de Borodin – que queriam um espetáculo que tivesse como cenário a América do Sul. Misto de musical e opereta cômica, a peça fez sua estreia em 1948 e passou, ao longo de três meses, por Los Angeles, São Francisco e Nova York. O musical, que tem leves toques tragicômicos, versa sobre conflitos religiosos, sobre a luta dos povos ameríndios contra a opressão e sobre a exuberância dos trópicos e suas riquezas naturais.
 
Quais seus heróis na vida real?
As pessoas que me ajudaram ou me ajudam.
São todos super heróis para mim. Mas existem aqueles super heróis anônimos que eu admiro. 
As histórias de pessoas que deram a volta por cima. Seja em uma luta contra uma doença, um vício ou uma situação de profunda dor. Admiro muito essas pessoas. 
Mas acima de tudo Deus! Meu maior Super Herói.
 
Qual sua figura feminina favorita na história?
Adoro a bondade e espiritualidade de Madre Teresa de Calcutá, a coragem de Dandara e Anita Garibaldi.
A elegância de Jacqueline Onassis e Audrey Hepburn. A raça de Maria Bonita. Ser Política como Cleópatra e Catarina De Medicis, o feminismo de Mary Wollstonecraft, e a realeza de Elizabeth I. A voz de Billie Holiday. 
O talento de Julie Andrews e Mary Martin. 
 
Cite 3 musicais favoritos que gostaria de produzir (essa pergunta é minha!)
Bom, Cinderella de R&H era um.   Sim, eu aceito, por ter sido o único musical na Broadway feito por somente dois atores, tinha um mega desafio, eu produzi.  E O Fantasma da Ópera sem dúvida seria um! 
 
O que você mais odeia?
Maldade 
 
Quais as figuras históricas que você mais odeia?
Hitler no topo!   Bin Laden, Saddan Hussein e os torturadores ao redor do mundo. 
Mas os ditadores legitimaram o extermínio através do poder.  Kim Il-Sung. O Leopold II da Bélgica foi um criminoso! Pinochet outro! Mussolini outro carrasco!  Colocaria todos em uma fogueira! 
Junto com Marcelo Paixão militar torturador FDP que existiu no Brasil. Esse tipo de gente não deveria nascer! Esses merecem morrer várias vezes! Nem o inferno aceita esses monstros! 
 
Em política você se entusiasma com quais partidos? (Minha pergunta também)
Infelizmente desde sempre todos os partidos estão envolvidos com histórias de corrupção. 
Hoje não tenho partido e nenhum político têm meu voto. Hoje sou Brasil. O que for melhor para o país e para a maioria é o que hoje eu procuro ser. Precisamos pensar no coletivo, sermos menos individualistas. 
Tudo está desta forma pois as pessoas só pensaram até hoje no seu próprio bem.
Enquanto a sociedade não deixar de ser Eu e passar a ser Nós, eu, você e o outro, iremos padecer sempre. 
 
Qual o talento que você gostaria de ter?
Voar! Seria o máximo! 
 
Como você gostaria de morrer?
Não gostaria de crescer, ou envelhecer. Amo a vida.  Mas se não tiver jeito, claro, em uma cama bem quentinha. Tendo a certeza de que amei e fui amada. Que na minha jornada errei e acertei. 
Mas que tivessem mais acertos. Tendo já conhecido e aproveitado meus netos. 
E principalmente morrendo tendo a certeza de que meu filho ficaria bem. 
 
Qual é seu estado mental atual?
Extremamente cansada e estressada.  Mas realizada! Um mix ! Tenho uma inquietude dentro de mim.
 
Por qual defeito nos outros você tem menos tolerância?
Soberba e Falsidade.
 
Qual seu lema favorito?
Sonhos se tornam realidade, se você realmente desejar com todo coração. 
Você pode ter tudo na vida, mas terá que fazer sacrifícios para isso. 
 
Seu grande amor, além do teatro é:
Meu filho! Minha vida! Meu Marido minha paixão. Meu enteado meu presente. Minha família minha base. Meus amigos minhas estrelas. J Lo minha " filhota linda". Meu trabalho meu combustível. 
 
Seu próximo sucesso já confirmado é:
Sucesso não têm fórmula. Quem dera que tivesse. Tenho muito trabalho pela frente. 
Terei o musical da Broadway " American Idiot" com o Mauro Mendonça Filho.
O musical "O que eu vou ser quando crescer " com apoio oficial da Lego, 
o musical " First Date" e algo que por enquanto não posso falar. 
Mas está por trás de uma das respostas que eu dei.
 
renata5.jpg
 
Sonhos se tornam realidade, se você realmente desejar com todo coração.
Você pode ter tudo na vida, mas terá que fazer sacrifícios para isso.
Renata Borges

NOVO PARQUE DA MÔNICA ABRE SUAS PORTAS NESTE DOMINGO (5)

por Alberto Pinto.

By Luiz Quesada
 
Para os "órfãos" do Parque da Mônica que existiu durante 17 anos no subsolo do Shopping Eldorado, em São Paulo (fechou em 2010), a notícia não poderia ser melhor: abre neste domingo (5), o novo Parque da Mônica.
 
monica7.jpg
 
Localizado, agora, no Shopping SP Market, numa área de 12 mil m2, o complexo de diversão e lazer é considerado o maior parque coberto da América Latina. Até 3 mil pessoas, simultaneamente, poderão se divertir nas atrações, que prometem agradar tanto crianças como adultos, neste mundo vivo das histórias em quadrinhos que saíram da imaginação de Maurício de Sousa. "O parque é muito especial para mim, para toda a minha família e creio que para várias outras famílias também. Estamos todos muito ansiosos para vê-lo repleto de pessoas se divertindo com a Turma da Mônica", confessa, entusiasmado.
 
Agora, são mais de 20 atrações para entreter toda a família. Logo na entrada, o visitante conhece a Vila da Mônica, com diversas atividades e lojas de alimentação. De longe, já se pode avistar a Roda-Gigante da Turma, o cartão-postal do Parque. A Casa da Mônica, o Quarto do Cebolinha, a Cozinha da Magali, a Piscina de Bolinhas do Cascão, entre outros, dividem espaço com brinquedos mais "hardcore", como a Montanha-Russa do Astronauta, a Trombada do Louco e a lúdica aventura pré-histórica no Horacic Park.
 
O público pode adquirir os passaportes diretamente na bilheteria do Parque. O valor individual é de R$ 129 (meia-entrada: R$ 64,50). Há ainda pacotes promocionais para grupos (2 pessoas: R$ 178; 3: R$ 264; 4: R$ 348; 5: R$ 430).
 
Parque da Mônica
Shopping SP Market: Avenida das Nações Unidas, 22.540, zona sul (próximo da estação Jurubatuba da CPTM).
Funcionamento: de 2ª a 6ª-feira, das 10h30 às 16h30. Sáb., dom. e feriados, das 11h às 19h.
Mais informações sobre as atrações e restrições estão disponíveis no site: http://www.parquedamonica.com.br   

Regina Casé estreia longa-metragem "Que Horas ela Volta?" de Anna Muylaert

por Alberto Pinto.

Singelo, lindo, maravilhoso, emocinante em sua história super simples que irá tocar seu coração, não deixe de ver. 
Regina Casé está encantadora e arrebatora nesse que deve ser seu melhor trabalho.
Dia 27 de agosto anote em sua agenda, um belo filme te espera. 
 
Após ganhar o prêmio de melhor atriz na seleção World Competition em Sundance e de melhor filme na Mostra Panorama do Festival de Berlim, o longa "Que Horas ela Volta?" foi vendido para mais de 20 países e terá um lançamento comercial na Europa antes mesmo do Brasil. Na Itália já foi lançado em 70 cidades no início de junho, alcançando a 8ª posição do ranking dos filmes mais vistos. Já na França será lançado no final do mês com mais de 100 cópias em 90 cidades. No Brasil, a produção tem estreia confirmada para o dia 27 de agosto em todo o país. 
 
case1.jpg
 
O longa, misto de drama social e comédia de costumes, relata a história da babá Val e o reencontro com sua filha adolescente que foi criada longe da mãe.  A interpretação de Regina Casé como a protagonista Val foi premiada em Sundance e tem recebido elogios impressionados de toda a imprensa internacional.   Escrito e dirigido por Anna Muylaert, o filme conta ainda com os atores Karine Teles, Lourenço Mutarelli, Michel Joelsas, Camila Márdila, e com as participações especiais de Luís Miranda e Theo Werneck.  
 
O longa se passa na cidade de São Paulo e nos permite acompanhar a trajetória de Val, que deixa sua filha pequena no interior de Pernambuco para tentar ganhar a vida na cidade grande. Após 13 anos como babá do menino Fabinho (Michel Joelsas), Val convive com a culpa de não ter participado da criação da filha. Em busca de condições melhores de estudo, Jéssica (Camila Márdila), a filha de Val, resolve ir ao encontro da mãe. Esse reencontro fará com que Val precise encontrar um novo equilíbrio na sua vida.
 
A produção segue uma trajetória internacional expressiva. Já foi vendido para mais de 20 países, entre eles França, Itália, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Taiwan, Canadá e Portugal. A distribuição internacional está a cargo da Memento Films e no Brasil o filme será distribuído pela Pandora Filmes. 

 

 Ficha Técnica
 
Elenco: Regina Casé, Camila Márdila, Karine Telles, Lourenço Mutarelli, Michel Joelsas, Helena Albergaria
Roteiro e direção: Anna Muylaert
Direção de Fotografia: Bárbara Alvarez
Direção de Arte: Marcos Pedroso e Thales Junqueira
Produção de Elenco: Patrícia Faria
Figurino: André Simonetti e Claudia Kopke
Maquiagem: Marcos Freire e André Anastacio
Trilha Sonora: Fábio Trummer e Vitor Araújo
Som Direto: Gabriela Cunha
Supervisão de edição de som: Miriam Biderman e Ricardo Reis
Mixagem: Paulo Gama
Montagem: Karen Harley
Assistente de direção: Leticia Prisco e Suzy Milstein 
Supervisão de pós-produção: Patrícia Nely
Coordenação Internacional: Manuela Mandler
Direção de produção: Jair Neto
Relações Institucionais: Ana Saito e Mariana Mecchi
Coordenação executiva: Sônia Hamburguer
Produção executiva: Caio Gullane e Claudia Büschel 
Produtor associado: Guel Arraes
Produzido por: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Debora Ivanov e Anna Muylaert
Produção: Gullane Produção Associada: Africa Filmes
Coprodução: Globo Filmes Distribuição: Pandora Filmes

SARA SARRES

por Alberto Pinto.

A Estrela dos Musicais Brasileiros
 
saracapa.jpg
 
A atriz Sara Sarres, reconhecida como uma das mais importantes atrizes dos espetáculos musicais brasileiros,  assinou contrato com a Ford TV. 
A atriz direciona seu tempo e talento para promover  novos trabalhos nos ramos televisivo e cinematográfico. 
“Estou disposta e preparada para novos desafios” relata Sara Sarres.
 
Atualmente a atriz está  em cartaz no espetáculo musical “O Homem de la Mancha”, e também e na coordenadoria de um conceituado curso de canto.
 
Brasiliense, iniciou seus estudos musicais aos 7 anos de idade, na Escola de Música de Brasíia onde estudou piano, percussão erudita e canto. 
Estreou aos 15 anos na ópera “A Flauta Mágica” (Mozart) como “A Rainha de Noite” e a partir daí participou de várias montagens de óperas, concertos e grupos corais como solista.  
Além de lead singer de bandas de rock e pop nacional e internacional com grande destaque em sua cidade natal. 
Fez o curso de ópera IVAI (Instituto de Artes Vocais de Israel) em Tel Aviv, onde estudou com grandes nomes da ópera na atualidade como, Joan Dornemann, Mingon Dunn, Richard Barret; teve aulas de atuação com Ned Canty, John Norris, Ira Siff e Teatro Musical com Dan Gattinger-NY; Estudou canto lírico em Milão com Rita Patané. 
É aluna do Maestro Marconi Araújo desde os 13 anos. 
Estudou  interpretação para cinema no Studio Fátima Toledo, na Academia Internacional de Cinema com Christian Duhrvoort e Balé Clássico no Studio 3 com José Ricardo Tomaseli.
 
 sara2.jpg
 
Em São Paulo protagonizou os espetáculos “O Fantasma da Ópera” como Christine, “Les Misérables” como Cosette, “Godspell” (dirigido por Miguel Falabella) como Maria Magdalena, “O Mágico de Oz” como Glinda, “Cole Porter” como Bessie, “Comunitá” como Antônia, “Emoções que o tempo não apaga”, “West Side Story” como Anita, dirigido por Jorge Takla,  “CATS” como Jellylorum com temporadas no Teatro Abril e Vivo Rio. 
Além disso, foi Morticia em “A Familia Addams”, “Fiona” em Shrek, Jane Valadão no musical “A Madrinha Embriagada” pelo qual foi indicada ao prêmio “Bibi Ferreira” como melhor atriz de musicais e atualmente está em cartaz no teatro SESI em São Paulo como Dulcineia na produção de “O Homem de la Mancha”.
 
sara1.jpg
 
Com a participação no espetáculo CATS se torna a única cantriz no Brasil a ter em seu curriculo os 3 espetáculos mais vistos do mundo são eles: Les Misérables, O Fantasma da Ópera e CATS.

‘NINE - UM MUSICAL FELLINIANO’

por Alberto Pinto.

nine1.jpg
 
Dificilmente na história do teatro brasileiro um diretor vai ter um elenco de mulheres tão lindas, carismáticas, sensuais, cativantes e profissionais como o elenco do musical Nine. E só mesmo os gênios Claudio Botelho e Charles Moeller para conseguirem reunir esse sonho em um dos musicais mais consagrados da Broadway, vencedor de mais de 30 prêmios internacionais, essa cativante obra baseada na obra de Federico Fellini, o autobiográfico 8e ½.
 
nine2.jpg
Beatriz Segall, Carol Castro, Leticia Birkheuer, Malu Rodrigues, Mayana Moura, o italiano Nicola Lama e Totia Meireles estão no elenco do musical, inspirado no clássico ‘8 ½’
 
nine3.jpg

Malu Rodrigues responde à pergunta de Marco Fontinha do Cityportal

Com estreia para 23 de maio, ‘Nine – Um Musical Felliniano’ será a primeira produção teatral a desembarcar no palco do recém-inaugurado Teatro Porto Seguro. 
 
nine4.jpg
Totia Meireles deslumbrante em uma cena de sonho do personagem Guido Contini ao fundo ( Nicola Lama)
 
O ator italiano Nicola Lama (‘Um Violinista no Telhado’, ‘O Mágico de Oz’) terá o desafio de interpretar Guido Contini, o protagonista que já foi vivido por Raul Julia (1982) e Antonio Banderas (2003) no teatro e por Daniel Day-Lewis no cinema. Ele será o único homem em um elenco formado por atrizes de gerações e referências diversas, como Beatriz Segall – que faz a sua estreia, aos 88 anos, em teatro musical – e Malu Rodrigues, já uma ‘veterana’ em seu nono musical aos 20 anos. Estrela de ‘Gypsy’, Totia Meireles retoma a vitoriosa parceria com Möeller & Botelho, enquanto Carol Castro, Leticia Birkheur eMayana Moura fazem seu primeiro trabalho com a dupla.
 
nine5.jpg
Guido Contini (Nicola Lama) suas mulheres e sua angústia 
 
Sobre a história
Em cena, Guido Contini, diretor de cinema conhecido internacionalmente, está em uma grave crise criativa, sem saber como desenvolver o seu próximo projeto. Para fugir das tensões, ele resolve passar alguns dias em um SPA em Veneza, onde encontra – em diferentes planos, como realidade, memória, fantasia, sonho – todas as mulheres de sua vida: a mãe (Beatriz Segall), a esposa (Carol Castro), a amante (Malu Rodrigues), a musa de seus filmes (Mayana Moura), a prostituta (Myra Ruiz) e a produtora de seus filmes (Totia Meireles).
A peça se passa toda dentro da cabeça do Guido, seguindo a lógica de um sonho, onde ele reencontra fantasmas do passado, revê suas musas e tenta criar o seu próximo roteiro.Os diversos planos de ação aparecem juntos, o que será aproveitado na cenografia de Rogério Falcão, nas coreografias de Alonso Barros e Charles Möeller e no desenho de luz de Paulo Cesar Medeiros. Se Falcão, Barros e Medeiros acumulam dezenas de trabalhos com Möeller & Botelho, o estilista Lino Villaventura faz a sua estreia no teatro musical, ao assinar os figurinos do espetáculo. A coordenação artística é de Tina Salles.
 
NINE – UM MUSICAL FELLINIANO
Um espetáculo de Charles Möeller & Claudio Botelho
 
Com TOTIA MEIRELES, CAROL CASTRO, MALU RODRIGUES, LETÍCIA BIRKHEUER, MAYANA MOURA, MYRA RUIZ, RENATA VILELA, CAMILLA MAROTTI, LAIS LENCI, LOLA FANUCCHI, ISABELLA MOREIRA E NICOLA LAMA como Guido Contini
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: BEATRIZ SEGALL
Direção Musical e Versão Brasileira: Claudio Botelho
Cenografia: Rogério Falcão
Figurinos: Lino Villaventura
Coreografias: Alonso Barros e Charles Möeller
Design de Som: Ademir Moraes Jr.
Design de Luz: Paulo Cesar Medeiros
Direção Musical e Regência: Paulo Nogueira
Visagismo: Beto Carramanhos 
Coordenação Artística: Tina Salles
Produção Executiva: Edson Lopes
 
Teatro Porto Seguro
Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos - São Paulo
Quintas, Sextas e Sábados, às 21h. Domingos, às 19h.
Estacionamento: Estapar – Al. Barão de Piracicaba, 618
Serviço de Vans: De terça a sexta: das 19h à 0h   Aos sábados, das 13h à 0h
Aos domingos: das 13h às 23h
Itinerário: Estação Luz - Porto Seguro - Estação Luz (saída Praça da Luz / Rua José Paulino)