selo Anuncieaqui triplo

No images found.

País sério, País fanfarrão

por Luiz Felipe Rangel Aulicino.

É inacreditável! O FBI chegará a Lula antes da Polícia Federal. E isso, por uma simples razão: existem os sérios e os fanfarrões.
 
lulapreso.jpg
 
Mesmo diante de todos os escândalos de corrupção no Brasil, os Estados Unidos são capazes de decretar a prisão de Lula antes da Justiça Federal brasileira. E olha que a América pouco se importa com o futebol.
 
Bastaram 5 cidadãos americanos terem se sentidos lesados no mercado financeiros, promovidos ações judiciais em face aos bancos de investimentos e olha no que deu!
 
Lá, ao contrário daqui, o Estado protege aqueles que o sustentam. Aqui o Estado lesa, mesmo que a vaca tussa!
 
Não digo que lá é melhor do que aqui. Digo que lá, malandro não se cria!
 
20 anos de investigação e ninguém fala em prescrição, morosidade do Judiciário, conivência do Ministério Público, aparelhamento das polícias, etc. Está aí! Tomá-lhe!
 
No Brasil, sabe-se há anos das falcatruas do futebol, das malandragens dos dirigentes e, mesmo assim, Ricardo Teixeira é um feliz residente da área nobre de Miami. Piada? Não! A mais pura verdade!
 
Enquanto Teixeira curte as benesses do primeiro mundo, o futebol brasileiro é tratado quase que à base de Bolsa Família. 
 
Agora, meu amigo, o cerco fechou para essa gangue. Agora, não estão mais sob investigação da Polícia e da Receita Federal da "Ilha de Vera Cruz". Segura o FBI e o Judiciário Norte-Americano.
 
E, certamente, se há corrupção na FIFA e uma Copa do Mundo passou por aqui, Lula está no meio. Não tem como duvidar disto, bastando saber o quanto levou.
 
Assim, passamos a ter uma corrida: quem chegará primeiro ao chefe da quadrilha: FBI ou Sérgio Moro?
 
O fato é: se já não saia às ruas, Lula, desde ontem, não dorme mais. Seu único pensamento é onde será melhor cumprir suas penas: numa peninteciária Americana ou nas pocilgas do Brasil? Que seu final é no regime fechado, disto ele não tem mais dúvidas!

A inacreditável distorção dos fatos

por Luiz Felipe Rangel Aulicino.

Acabo de ler matéria na revista Carta Capital. Sim, esta mesmo! Do jornalista Mino Carta, financiada pelo BNDES e fartamente patrocinada por empresas estatais.
 
petistaenfu.jpg
 
Como esse tipo de jornalismo tem a capacidade de distorcer os fatos.
 
Acusam passageiros do vôo da Gol, 1261, POA/BSB, de agredir um ex-militante e ex-filiado do Partido dos Trabalhadores, tratando-o como "pobre velhino". 
 
Ora, primeira coisa a saber é: o passageiro tornou-se ex-militante e ex-filiado por vergonha?
 
Para quem não viu o vídeo e, simplesmente, leu a reportagem de Carta Capital, parece ter a absoluta certeza de que o pobre senhor sofreu algum tipo de bullyng. Chamem a Maria do Rosário!
 
Porém, quem assitiu ao vídeo em sua íntegra sabe tratar-se a reportagem de Carta Capital de mais uma daquelas tantas prestadas a não informar mas, sim, a enganar seu leitor em troca de mais uns Reais em patrocínio. 
 
Mino Carta é desse tipo de jornalista que não tem pudor em mentir. Esta, talvez, tenha sido a razão de se sujeitar, com tanta facilidade, a este tipo de jornalismo parco.
 
A "gurizada" da Banda Loka Liberal não fez nada além de praticar a democracia. Mas democracia com o PT no poder, talvez, seja muito atentatório.
 
Fora FHC, pode! Fora FMI, pode! Fora, Dilma: é golpe! É assim que as coisas estão funcionando no País dos protegidos de Mino Carta.
 
Tem que se indiganar com petista, sim! E não é pouco não!
 
Petista virou sinônimo de ladrão. Simples assim! Precisa, apenas, saber em qual quota-parte da quadrilha atua: na que recebe patrocínio, na que leva 3% dos contratos da Petrobrás, na que recebe dinheiro de contratos sigilosos do BNDES, na que leva mesada, enfim.... Tem uma gama por aí!
 
Meu senhor, cujo nome pouco importa (me parece que é Elbio), faça um favor ao povo brasileiro: ao invés de criar fato para tentar se fazer de vítima, procure seus ex-companheiros e peça a eles para pararem de roubar o povo brasileiro!
 
Quanto a vocês, editores de Carta Capital: parem de usar fatos para se promoverem! Já viu um petista que se preze saber ler? Nem o maior dentre vocês sabe!
 
O PT rouboooouuu!
 
Eis o video: 

Os grandes juristas do Brasil

por Luiz Felipe Rangel Aulicino.

Os brasileiros não deveriam se entristecer. Hoje é dia de comemorar!
 
Meu pai, desde quando eu era criança, me ensinava que nada pode ser pior do que "burro com iniciativa". E eis que temos uma meia dúzia rodeando o Palácio do Planalto.
 
Os "brilhantes" juristas, Cardozo e Janot, quiseram se igualar a nomes como Ruy Barbosa, Clóvis Beviláqua, Evandro Lins e Silva, Miguel Reale, dentre outros. Porém, não podem ser comparados nem com o Manézinho do 4º DP, famoso advogado de porta de cadeia.
 
cardosojanot.jpg
 
Ao se reunir com o Procurador Geral da República para discutir o futuro de seus principais clientes, Cardozo tentou ser astuto, mesmo sendo o "tal burro com iniciativa"  e Janot provou, apenas, uma coisa: se cair de quatro não se levanta. Vamos aos fatos:
 
Ambos se reunem. Nada ilegal, talvez imoral.
 
Conhecendo o funcionamento das coisas do Planalto Central, parecia pouco plausível que que pedidos de Abertura de Inquérito contra "agentes políticos" fossem protocolizados no Supremo Tribunal Federal sem o conhecimento da Presidente da República, do Ministro da Justiça e do próprio Presidente da Suprema Corte dos nomes a serem investigados. Impossível acreditar que não. Dúvidas podem existir no porque já não pedir as aberturas de Processo Criminal ao invés de Inquérito Policial. Nada além disso. Começa, aí, o erro técnico das mentes brilhantes.
 
Inquérito não pode condenar ninguém e, no Brasil, "todos são inocentes até prova em contrário". Colocam todos no mesmo balaio.
 
Cardozo induz Janot ao erro, portanto, desde a modalidade da peça processual.
 
OK! Vamos investigar todo mundo (ou quase todo mundo).
 
Soltam nota de que um importante líder da Oposição estaria na "Lista de Janot" e os veículos de comunicação, cujo principal anunciante chama-se Petrobras, embarcam e abraçam essa estupidez. Conseguem imaginar a oposição se benefiando em um governo petista? Só se o Lula estiver em coma alcóolico. Portanto, mais um erro primário do advogado dos chefes da quadrilha.
 
Enfim, Janot apresenta, ainda sob sigilo, sua lista de agentes políticos a serem investigados ao STF e, a esta altura, todos os que tiveram seus nomes citados já sabem se estão ou não. É um princípio básico do Direito. 
 
Na lista os nomes dos Presidentes da Câmara e do Senado, respectivamente, o terceiro na linha sucessória da República e o Presidente do Congresso Nacional. Só isso!
 
Descobre-se que Dilma, ex-Ministra de Minas e Energia, ex-Ministra Chefe da Casa Civil, ex-Presidente do Conselho da Petrobras e Presidente da República há 4 anos e 65 dias, nela não aparece. O clima entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, separados por 4 faixas de pista, piora e piora muito. Na verdade, explode. Foi, simplesmente, a gasolina que faltava. Talvez, o preço que está o combustivel justifique a demora para a implosão.
 
E é nesse ponto que o advogado de porta de xadrez, José Eduardo Cardozo, não pode nem ser comparado ao Manézinho. Este segundo é esperto, conhece os meandros do Processo Penal e especializou-se em Inquéritos. Ao conseguir tirar o nome da sua cliente numa investigação que levará anos e correrá entre as 4 paredes do Supremo, ele a joga para o Inquérito das CPIs do Congresso Nacional, transmitidas "Ao Vivo", diariamente nas TVs Câmara e Senado, onde ele explodiu suas relações e onde sua cliente irá sangrar até a última gota e sem ter quem peça clemência por ela.
 
O outro cliente, Lula, não podemos culpar Janot. Sabemos que não tem Foro privilegiado e, portanto, não justificaria ter o nome na lista mesmo. A ele sobrará a mão pesada de Sérgio Moro. Olha a encrenca que o advogadinho metido a jurista colocou seus clientes.
 
Por acaso, encontrei Manezinho ontem tomando sua pinguinha num boteco pé sujo aqui do Centro-Oeste e ele ria à toa. Disse-me que seus telefones celulares, um de cada operadora para facilitar o contato com seus clientes, não pararam de tocar após o Jornal Nacional.
 
Surpreso com isso perguntei:
- Quem tanto te liga, Manezinho?
Sorrindo, Manezinho respondeu:
- O Ministro que só recebe os advogados bacanas e depreza a nós, advogados comuns, agora não para de me ligar. Quer porque quer que eu salve os clientes dele.
Curioso que sou, fiz mais uma pergunta:
- E o que você disse ao Ministro, Manezinho?
Após mais um gole em seu copo de cachaça, suspirou e soltou:
- Ministro, quero que você, a Dilma e o Lula, como cadeia para bacana no Brasil não existe, vão para o quinto dos infernos. Fui educado, não fui, Luli? Queria ter mandado ele para outro lugar, finalizou.
 

Começou bem a relação Dilma e Ministros

por Luiz Felipe Rangel Aulicino.

É! Parece que Dilma, menos de 24 horas depois de empossar seus Ministros, é quem, de fato, dará o tom do manda quem pode, obedece quem tem juízo ou não tem vergonha na cara. Não sei em qual perfil se enquadra o novo Ministro do Planejamento, Nelson Barbosa.
Para quem teve, há pouco tempo, Barbosão, ter, agora, que conviver com o Barbosinha é triste. Como pode, não é? Mesmo sobrenome e perfis tão diversos.
Dilma está, realmente, convencida de que se elegeu com grande apoio dos eleitores brasileiros. Mas, consideremos, ela é bem ruim de números e todos nós sabemos disso.
Parece que nem as águas do mar da Bahia lavaram a empáfia de Dilma e esta será uma marca sua neste segundo mandato.
A desautorização de um pronunciamento de um Ministro de Estado no primeiro dia de Governo é reduzi-lo ao nada pelos próximos 4 anos ou até sua demissão.
Para piorar, o tema interessa profudamente o povo brasileiro: regras para o cálculo do salário mínimo e, assim, uma coisa é certa: um dos dois começou muito mal, será o Ministro ou a Presidente?
 

Pô, Papai Noel! Você me sacaneou esse ano

por Luiz Felipe Rangel Aulicino.

Nem mandei carta para você esse ano, nem vou te chamar de senhor, não merece, tantas foram as piadas de mal gosto que fez conosco em 2014.
Po, Bom Velhinho, nos dar Dilma por mais 4 anos é muita sacanagem. É o mesmo que dar bicicleta para bebê.
Confessa: você errou na hora de tirar do saco mas virá loguinho fazer a troca, né!
Não? A culpa é nossa?
Verdade né, Papai Noel! 
Fomos mal na prova de fim de ano. Nesse aspecto você tem razão. A resposta à pergunta sobre junho de 2013 era 45 e mais da metade da turma respondeu 13.
Mas esse negócio de penalizar a todos pelos erros da maioria não está certo. Repense sobre isto.
Bom velhinho, até o coelhinho da Páscoa está revoltado. Pelo que fiquei sabendo, dos dias de festas, só as Bruxas ficaram contentes, caramba. Uma delas, inclusive, não desce da Vassoura da Petrobrás nem que a vaca tussa.
Olhe o que veio de brinde no presente que você deixou aos brasileiros: inflação, juros altos, corrupção, descrédito internacional, dólar disparado, Lula solto. Você não viu isso não quando decidiu nos dar a boneca Dilma?
Para piorar, essa boneca, ontem, começou a trazer uns amigos dela para sua Toy Story. Olha o kit, Papai Noel: Kassab, Jaques Wagner, Cid Gomes, Padilha. E ainda falta chegar mais meia turma. 
2013 você foi legal! Nos deu o Barbosão mas, eita brinquedo turrão. Deixou de funcionar, não quis mais brincar e pior: quando isto aconteceu abriu espaço para um monte de bonecos que estavam presos no fundo do armário.
É Papai Noel, não adianta querer me agradar com o Sergio Moro. Acho que eu não acredito mais em você. Levou 43 anos para isso acontecer.
E só para que saiba: deixei de acreditar em você porque ainda acredito no povo brasileiro que saberá se comportar em 2015 para concertar o erro que você cometeu com essa troca de presentes.
Bom, de qualquer forma, seja você quem for, um Feliz Natal, bom velhinho! Só te aviso uma coisa: não vai ter estrela no topo da minha árvore de Natal, esta você enfiou em nós sabe bem aonde!